Política

A irmã de Milei e o trauma do presidente sem poder

O presidente da Argentina, Javier Milei, participou da cerimônia de posse neste domingo, 10, ao lado de irmã Karina Elisabeth Milei (foto). Nesta segunda, 11, ela foi nomeada para comandar a Secretaria de Governo.

Para nomear a irmã, Milei modificou um decreto do ex-presidente Mauricio Macri. O texto proibia as escolhas de familiares diretos de funcionários públicos. Milei abriu exceção para os postos indicados pelo presidente.

Mas o nepotismo, mesmo que autorizado, continua sendo nepotismo. Certamente, Milei teria plenas condições de encontrar uma pessoa tão ou mais competente entre a população de 40 milhões de pessoas para ocupar o cargo da Secretaria de Governo. Karina só foi escolhida pelo seu parentesco.

Em parte, os argentinos não se surpreenderam com a escolha. Todos já conheciam o poder que ela exerce sobre Milei, que a chama de “Moisés” ou “o chefe“. Ela foi a organizadora da campanha e também da cerimônia da posse.

Na Secretaria de Governo, Karina vai cuidar da agenda presidencial. Já se esperava que ela teria um papel como esse. Não foi uma surpresa. É uma função que normalmente fica a cargo de alguém com muita confiança, o que de certa forma justifica a escolha“, diz o cientista político argentino Julio Burdman.

Matéria: O Antagonista

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo