Economia

Abacaxi de R$ 2.000 e melão de R$ 900: frutas de luxo ganham força nos EUA

Um abacaxi de US$ 396 (R$ 2.240) vem embalado em uma caixa vermelha ornamentada que se desdobra como um origami e é cheia de buraquinhos para a entrada de ar.

Um melão de US$ 156 (R$ 882), envolto em rede de espuma, cresceu sozinho em um meloeiro do qual todas as outras frutas foram podadas, com o objetivo de tornar esse único fruto extradoce.

As frutas de luxo, que têm uma longa história em partes da Ásia, estão ganhando popularidade nos Estados Unidos, com novas variedades sendo cultivadas e importadas, incluindo aquelas desenvolvidas ao longo de vários anos por empresas que visam comercializar produtos com aparência e sabor únicos.

O abacaxi de US$ 396 —registrado como Rubyglow por sua casca vermelha e extremamente limitado— recentemente esgotou nos EUA em questão de semanas.

Alguns desses produtos são há muito tempo dados como presentes, especialmente no Japão e na Coreia. Essa tendência está se espalhando nos Estados Unidos, assim como o gosto por frutas impecáveis que os turistas podem ter experimentado no exterior, disseram especialistas em produtos.

E, como o setor de bens de luxo cresceu, também cresceu o interesse por frutas de luxo, disse Soyeon Shim, que estuda comportamento do consumidor na Universidade de Wisconsin-Madison.

“O mercado se tornou muito mais global”, disse ela. “Você pode comprar o que quiser”.

Eve Turow-Paul, escritora e especialista em tendências alimentares globais, descreveu as frutas de luxo como uma das “experiências alimentares de alta costura”, através das quais as pessoas tentam demonstrar status.

“Nos últimos 10 anos, especialmente, a cultura alimentar global se tornou homogeneizada”, disse. “Como continuar a superar outras pessoas nesse tipo de mundo alimentar?”.

Nas últimas décadas, produtos únicos —como o melão de US$ 156, conhecido como Crown Melon; uvas especiais da Coreia do Sul valorizadas pelo tamanho e crocância; morangos brancos do Japão; e mangostões, uma fruta tropical com polpa branca macia— foram exportados para os Estados Unidos, disse Robert Schueller, porta-voz da Melissa’s Produce, que se descreve como o maior distribuidor de frutas e vegetais especiais do país.

As tentativas da empresa de introduzir frutas desconhecidas ao paladar americano, no entanto, nem sempre foram bem-sucedidas, disse.

Já fracassaram a maçã-estrela, uma fruta roxa escura nativa do Caribe e da América Central; o oca, um tubérculo popular na Nova Zelândia; e um melão quadrado —que, embora pudesse ser “cortado como pão de forma”, não tinha um sabor superior. A Melissa’s agora está trabalhando com um produtor na Costa Rica para desenvolver um melão que seja tanto quadrado quanto mais doce.

Veja algumas das frutas mais chiques disponíveis nos Estados Unidos.

ABACAXIS POR ENCOMENDA

O abacaxi, uma fruta tropical nativa da América do Sul, é historicamente um produto de luxo nos Estados Unidos e na Europa, simbolizando imperialismo, poder e opulência. Foi só no início do século 20 que uma plantação no Havaí tornou a fruta mais acessível em toda a América do Norte.

Nos últimos anos, alguns abacaxis únicos e mais caros foram introduzidos nos Estados Unidos, incluindo o Elefante Green Gold, nativo de Gana e com polpa branca, baixa acidez e enviado em uma caixa devido à sua tendência a tombar. Custa cerca de US$ 26 (R$ 147).

O abacaxi Pinkglow, cultivado na Costa Rica, foi geneticamente modificado pela Fresh Del Monte para conter uma polpa cor-de-rosa e baixa acidez. Começou a ser vendido em 2019 por cerca de US$ 50 (R$ 282) e agora custa até US$ 29 (R$ 164), dependendo do tamanho.

Neste ano, após 16 anos de desenvolvimento, a Del Monte, que distribui produtos globalmente, lançou na China e nos EUA o abacaxi Rubyglow, de US$ 396, que tem uma casca externa vermelha e polpa amarela doce.

O alto preço se deve em parte porque apenas algumas milhares de frutas foram cultivadas, mas a empresa disse que o preço provavelmente diminuirá à medida que a produção aumentar.

Nem o Pinkglow nem o Rubyglow, ambos vendidos pela Melissa’s Produce, vêm com suas coroas, que podem ser usadas para cultivar mais abacaxis.

UM MELÃO ESPECIAL

O Crown Melon, doce e perfumado, é um melão do tipo muskmelon da província de Shizuoka, no Japão, região de clima quente e ensolarado. Cada meloeiro é podado para que apenas um fruto cresça, concentrando o sabor.

No Japão, o melão —que tem uma casca em rede, polpa verde-limão e cujo teor de açúcar é analisado antes de ser vendido— é tradicionalmente dado como presente. Cada um vem dentro de uma caixa com o caule em forma de T, como um lembrete do processo de crescimento.

O melão foi aprovado para importação nos Estados Unidos recentemente e pode custar até US$ 156. Embora muitos compradores dos EUA já estejam familiarizados, ele está ganhando mais popularidade mais ampla, disse Ayako Yuki, porta-voz da Ikigai Fruits, que importa a fruta e outros produtos de luxo japoneses para os Estados Unidos.

Influenciadores também ajudaram a destacar produtos de luxo em um mercado global, disse. “Eles estão realmente curiosos para experimentar a primeira mordida”, disse Yuki.

MORANGOS MIMADOS

Um quilo de morangos geralmente custa apenas alguns dólares. Uma única unidade da fruta de luxo pode custar mais —até cerca de US$ 29 cada (R$ 164).

A Ikigai, importadora de frutas de luxo, vende uma variedade de morangos vermelhos, rosas e brancos importados do Japão em caixas que variam de US$ 89 (R$ 503) a US$ 780 (R$ 4.400).

Uma caixa média custa cerca de US$ 128 (R$ 724) e contém 30 morangos grandes, disse a empresa. Os frutos —cultivados em estufas e colhidos quando estão perfeitamente maduros e doces— às vezes são embrulhados individualmente para protegê-los de solavancos.

MAIS MANGAS

A manga, fruta tropical nativa da Ásia, chegou na Flórida na década de 1800. Mas até hoje, as práticas de cultivo, colheita e importação significam que as mangas mais comuns nos Estados Unidos muitas vezes podem ser muito firmes, fibrosas ou azedas.

Nas últimas décadas, no entanto, o Departamento de Agricultura dos EUA aprovou importações de outros países, incluindo da Índia e da Colômbia. Algumas mangas premium também são cultivadas na Flórida e na Califórnia, embora nem sempre estejam disponíveis em outros estados.

“Algumas pessoas pensam que uma manga é uma manga”, disse Schueller, da Melissa’s Produce. “Elas não têm todas o mesmo sabor”.

A manga Pink Elephant, do Vietnã e vendida pela Melissa’s, está entre as variedades importadas mais novas, disse Schueller.

Uma única fruta, pesando até 900 gramas, pode custar até cerca de US$ 25 (R$ 141). Outra variedade, a Miyazaki, também conhecida como “Ovo do Sol” e importada do Japão por outro varejista, é vendida a US$ 95 (R$ 537) por fruta.

“À primeira vista, isso parece verdadeiramente insustentável”, disse Turow-Paul, a especialista em tendências alimentares, sobre a importação de frutas de luxo para os Estados Unidos, observando que parte do que torna algumas das frutas tão caras é a distância que percorreram.

Mas ela diz esperar que as frutas cultivadas nos EUA possam despertar a mesma empolgação. “As pessoas estão abertas a comer coisas novas e diferentes”, disse.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo