Esporte

Abel aponta lições em vitória do Palmeiras sobre o Liverpool-URU e elogia atuações de dupla da base

O técnico Abel Ferreira mandou a campo uma equipe com duas principais mudanças para enfrentar o Liverpool-URU, pela segunda rodada da Libertadores. As Crias da Academia Luis Guilherme e Estêvão estiveram na escalação inicial e foram peças importantes para a vitória de virada do Palmeiras por 3 a 1 sobre os uruguaios, no Allianz Parque. O treinador apontou as lições a serem aprendidas no duelo e elogiou as atuações dos jovens.

“Eu gosto de ganhar jogos. Não tenho sistema favorito e em função dos jogadores que tenho disponíveis. Se jogar Luis e Estevão não posso pedir o mesmo ao Rony e Endrick. São jogadores de desequilíbrio. No lance do Flaco na área, aconteceu depois de uma arrancada do Luis. Foram muito bem. Ter uma equipe experiente dentro do jogo para ajudar, Rocha e Piquerez para ajudar. Soubemos lidar com esses momentos. Ficamos muito nervosos, voltamos a fazer o que fizemos contra o Santos. Queríamos a bola na frente sem construir na primeira fase. Foi isso que disse isso no intervalo, é preciso ter mais bola, por menos bola no ar, construir mais jogos. Tem que entrar por fora e com calma, com ajudas. O Estêvão teve ajuda do Ríos. Tínhamos que ganhar esse jogo. Não foi porque o Luis não estava bem, mas queria mais um centroavante”, disse o treinador.

Luis Guilherme atuou apenas durante o primeiro tempo. Rony entrou em seu lugar no intervalo. Enquanto Estêvão deu lugar a Mayke pouco depois de marcar seu gol aos 20 minutos da segunda etapa. O camisa 41 aproveitou cruzamento de Veiga e fez de cabeça.

“Os moleques estão bem, felizes, só preciso que tenham cuidado com o que vão dizer deles e que mantenham os pés no chão e equilíbrio. A jornada é longa e a linha do elogio e crítica é muito tênue. O que digo a eles é que acreditem no Palmeiras, em nós. O clube tem recursos suficiente para ajudá-los”, disse.

O treinador, porém, não deixou de alertar seus jogadores dos elogios e críticas recebidas. “Esses moleques nunca podem perder alegria e prazer naquilo que eles fazem. O nível das críticas aqui é acima do tom, é agressiva. Esse menino ainda não é maior de idade, tem que ouvir conselho dos pais. O que digo a ele é o que digo às minhas filhas. Tudo no tempo de Deus, sejam felizes, Quando tiver que ir à Disney vá porque o outro foi e foi vendido ao Real. Feliz por ele (Estêvão) ter feito um belíssimo jogo, mas falo calma. Amanhã todos vão falar. Fico feliz, porque merece, pelo trabalho que faz. O futuro, as novas gerações são meninos de bom coração, boa cabeça e se . Acredito que em cinco ou seis anos as coisas podem ser muito boas para o Brasil”, declarou.

O Palmeiras sofreu o gol logo aos três minutos do primeiro tempo, na primeira finalização do adversário, em uma jogada com origem em cobrança de falta. Os comandados de Abel Ferreira conseguiram empatar aos 50 minutos da etapa inicial e foi com a igualdade no placar para o intervalo.

“Meus jogadores sabem que quando ligam o modo competitivo pode ganhar de qualquer equipe e quando não ligam podemos perder. Entramos desligados, sofremos o gol cedo e isso condicionou. A correção do intervalo foi muito pouca coisa. Tivemos erros técnicos no primeiro tempo. O jogo estava muito bom para o sistema do adversário jogar. Fizemos bem na segunda parte e nossa atitude competitiva foi melhor. Não podemos dar chance para o adversário acreditar que pode vir aqui no nosso estádio e ganhar o jogo. Podia ter sido mais, mas acho que uma fica uma boa lição” finalizou.

Agora, os comandados de Abel Ferreira precisam virar a chave para a disputa do Brasileirão. O Palmeiras estreia no torneio nacional neste domingo, contra o Vitória, no Barradão, em Salvador, às 18h30 (de Brasília).

Gazeta Esportiva

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo