Economia

Após problemas, como Boeing está atuando para garantir segurança de aviões?

Cada 737 demora 10 dias para ser montado por completo e, em cada etapa, que dura um dia geralmente, diversos itens são preparados. Anteriormente, se um desses itens não ficava pronto, a fuselagem do avião poderia avançar para a próxima etapa, momento em que a falha seria corrigida.

Um exemplo hipotético seria a fixação de uma das janelas. Em tese, não haveria nenhum problema em ela ser fixada durante a próxima etapa de montagem. Entretanto, hoje, o avião não continuaria seu processo de montagem antes de ela ser fixada e um profissional diferente realizar a inspeção para saber se o trabalho foi feito adequadamente.

Caso ocorra esse tipo de situação, haverá um buraco na linha de produção, e a entrega da aeronave sofrerá o atraso de ao menos um dia. Entretanto, a Boeing reconhece que isso é necessário para melhorar a segurança de seus aviões e evitar que possa haver algum problema posterior.

No Brasil, a Gol é a principal cliente da Boeing. Todos seus aviões são da fabricante norte-americana, sendo, predominantemente, os 737. Em 2020, após o fim das restrições de voo ao 737 Max, a empresa foi a primeira do mundo a decolar com o modelo novamente.

Azul também opera o 737, mas apenas na versão cargueira e de um modelo diferente do Max. Latam usa, entre outros, os modelos 787 e 777 da Boeing para voos internacionais.

* O colunista viajou a convite da Boeing.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo