Economia

Ataque a tiros no sul de Israel deixa 3 mortos e 4 feridos, segundo médicos e policiais

JERUSALÉM (Reuters) – Duas pessoas foram mortas e quatro ficaram feridas no que a polícia israelense disse ter sido um ataque a tiros perto de um cruzamento no sul de Israel na sexta-feira.

As autoridades do distrito disseram que o suposto atirador foi morto por um civil armado.

A tensão tem aumentado na região, à medida que Israel continua a bombardear a Faixa de Gaza mais de quatro meses depois que o grupo militante palestino Hamas atacou suas cidades.

Conteúdo XP

Peça o melhor cartão de crédito do Brasil e tenha acesso à Salas vip e Investback nas compras

“Esse ataque nos lembra que o país inteiro é um front e que os assassinos, que não vêm apenas de Gaza, querem matar todos nós”, disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. “Continuaremos a lutar até a vitória total.”

O comissário de polícia de Israel Kobi Shabtai recusou-se a responder a perguntas sobre a identidade do atirador, que também foi morto, dizendo que a investigação do incidente ainda estava em estágios preliminares.

O comandante do distrito central, Avi Biton, afirmou que um agressor abriu fogo em uma estação de ônibus perto de um cruzamento no sul de Israel no início da tarde de sexta-feira, ferindo seis pessoas. Ele disse que um civil armado que estava no local atirou no suspeito e que as forças policiais estavam vasculhando a área para descartar a possibilidade de outros criminosos.

Continua depois da publicidade

O serviço de ambulância Magen David Adom informou que duas das vítimas morreram e outras quatro foram transferidas para hospitais para tratamento com ferimentos moderados a graves.

O ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben-Gvir, disse que o incidente “prova novamente que as armas salvam vidas”. Ele prometeu aumentar a distribuição de armas de fogo para civis após o ataque liderado pelo Hamas a Israel em 7 de outubro, que levou os israelenses a se armarem em número recorde.

A ofensiva de Israel em Gaza matou mais de 28.700 palestinos, de acordo com as autoridades de saúde palestinas, destruiu grande parte da faixa e deslocou a maior parte de sua população de 2,3 milhões de pessoas.

Israel diz que seu objetivo é destruir o Hamas depois que os combatentes do grupo lideraram um ataque no qual 1.200 pessoas foram mortas e 253 foram feitas reféns.

Infomoney

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo