Economia

Aumentar a Selic não é única forma de controlar inflação

Controle dos gastos públicos. Para os especialistas ouvidos pela reportagem, para ajudar no combate à inflação, o governo federal precisa controlar os gastos públicos buscando um superávit primário, ou seja, buscando arrecadar mais do que gastar.

O governo federal também pode incentivar a produção no país. Isso pode se dar por meio de incentivos fiscais ou financeiros para aumentar a produção de bens e serviços e reduzir pressões inflacionárias.

Fazer reformas estruturais é outra forma de ajudar a combater a inflação. Segundo o economista Felipe Nascimento, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), a implementação da Reforma Tributária no último ano foi uma dessas tentativas. “Uma parte significativa da nossa inflação é influenciada por tributos, e medidas como essa são muito eficazes”, afirmou.

Aumentar impostos surte efeito, tanto por derrubar o consumo, quanto por gerar um equilíbrio maior das contas públicas.
Juliana Inhasz, economista e professora no Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa)

Criação de um arcabouço fiscal com um orçamento crível. Estabelecer um quadro fiscal sólido com um orçamento confiável é essencial. Quando os agentes econômicos têm a certeza de que o governo manterá seus gastos dentro da meta de inflação, isso influencia positivamente as expectativas econômicas, ajudando a controlar a inflação. “Embora tenha funcionado bem no ano passado, este ano o governo apresenta mais dificuldades”, pontua Nascimento.

Melhorar a comunicação com o Banco Central. As críticas públicas trocadas entre o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e o presidente Lula (PT) não têm contribuído para manter a inflação sob controle no país, conforme apontam economistas. É crucial manter uma comunicação clara e técnica, evitando decisões percebidas como políticas. Esse tipo de atrito pode gerar incerteza no mercado.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo