Economia

Com bife wagyu a R$ 1.300/kg, marca de carne fatura até R$ 200 milhões

Importação de carne premium

A maior parte das carnes vendidas pela marca é importada. Os cortes vêm de países como Uruguai, Argentina, Japão, Estados Unidos, Austrália, Chile, Nova Zelândia e Brasil. “Cada país tem a sua vocação em termos de carne. Hoje, também orientamos frigoríficos a produzirem com mais qualidade”, diz Shimbo.

O chorizo de wagyu é um exemplo. Um corte de 560 gramas sai a R$ 723,31 no site da companhia, o equivalente a quase R$ 1.300 o quilo. A carne é produzida em Kagoshima, no Japão, e importada com exclusividade pela 481. O bife tem classificação A5, a mais alta do mundo. Todas as peças são certificadas. Shimbo explica que os bois dessa raça típica do Japão são maiores, com mais tempo de amadurecimento e marmoreio – que é a formação de gordura entremeada. “É uma iguaria, não é para o churrasco com os amigos”, afirma.

Chorizo de Wagyu, grau 5 de marmoreio e qualidade
Chorizo de Wagyu, grau 5 de marmoreio e qualidade Imagem: Divulgação 481

Modelo de negócios

A 481 traz a carne dos produtores – brasileiros e estrangeiros – para seu próprio frigorífico. Ele fica em Louveira, interior de SP, assim como o escritório da empresa. São cerca de 250 funcionários, de corte ao administrativo.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo