Economia

Comuns no Brasil, táxis-aéreos piratas podem causar acidentes fatais

É estimado que sete em cada dez voos de táxi-aéreo no Brasil sejam piratas. A situação piorou após os últimos anos de crise econômica no país. Uma forma de as pessoas continuarem voando foi migrar para o táxi-aéreo pirata. Outro motivo é o proprietário perceber a necessidade de colocar a aeronave para voar para fazer dinheiro.

A Anac afirma que não há como quantificar o uso de táxis-aéreos piratas no Brasil, já que estão à margem da lei.

Acidentes com táxis-aéreos piratas

Casos recentes de acidentes mostram que, além da questão econômica, o principal problema está relacionado à segurança dos passageiros. Em dezembro de 2016, uma noiva morreu a caminho do casamento em uma queda de helicóptero em São Lourenço da Serra (SP). Já em 2018, outro helicóptero caiu em Vinhedo (SP) enquanto levava uma noiva ao casamento, dessa vez sem mortes.

Em ambos os acidentes, as aeronaves realizavam o serviço pirata de táxi-aéreo, com pilotos que nem sempre possuem a qualificação correta para esse tipo de transporte.

Anac promete aumentar a fiscalização

Desde então, a agência intensificou a fiscalização. Um do primeiros alvos foi a dupla Maiara e Maraisa, que tiveram aviões interditados pela Anac depois de denúncias.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo