Economia

conselho da Vale tenta consenso sobre sucessão

“Ambas as partes têm de convergir pelo melhor interesse da Companhia”, afirmou uma pessoa que acompanha de perto as negociações.

Rigor

Em nota divulgada ontem, pouco antes do fechamento da Bolsa de Valores, a Vale reiterou que não houve decisão de seu conselho de administração quanto à renovação do mandato do presidente em exercício, ou à realização de processo sucessório. “O conselho de administração da Vale segue conduzindo de forma diligente as discussões pertinentes à definição do presidente da companhia e cumprindo com rigor o estatuto social e as políticas corporativas aplicáveis”, disse a mineradora no comunicado ao mercado.

Ao longo do pregão de ontem da B3 (a Bolsa de Valores do Brasil), as ações chegaram a subir 1,83%. Os papéis, porém, terminaram o dia em queda de 0,34%, a R$ 66,52, com o comunicado da empresa ao mercado, informando não haver qualquer decisão sobre o novo presidente. Desde o início do ano, em meio à novela da sucessão, as ações da empresa acumulam queda de 13,83%.

Em meio à demora na definição do rumo que terá a sucessão do comando da mineradora, alguns nomes começaram a circular no mercado nos últimos dias como cotados para ocupar a presidência, como o do presidente da Suzano, Walter Schalka, que já anunciou que deixará o cargo no meio do ano.

O ex-presidente da Cielo e do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, e o ex-presidente da própria Vale, Murilo Ferreira, também foram cogitados como potenciais candidatos ao posto.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo