Esporte

Corinthians tem dois remanescentes do elenco da Libertadores que encarou o Nacional-PAR há 12 anos

O Corinthians terá pela frente no calendário o seu segundo jogo Copa Sul-Americana. Nesta terça-feira, o Timão recebe o Nacional-PAR, a partir das 19 horas (de Brasília), na Neo Química Arena. O compromisso é válido pelo Grupo F da competição.

Essa, porém, não é a primeira vez que os dois times se enfrentam em uma competição continental. Na conquista do título da Libertadores, em 2012, o Corinthians esteve no Grupo 6, que também tinha o adversário paraguaio.

Apesar de todas as reformulações no período dos últimos 12 anos, o Alvinegro paulista tem dois remanescentes do elenco daquela Libertadores – edição em que precisou enfrentar o Nacional duas vezes na fase de grupos: Paulinho e Cássio.

O volante foi uma das principais peças do Alvinegro paulista que ergueu o título daquela edição. Foi titular em todos os 14 jogos e terminou a campanha corintiana com três gols e três assistências. Ficou muito marcado pelo gol contra o Vasco, já no fim do jogo, que classificou a equipe às semifinais.

Paulinho esteve no 11 inicial nos dois confrontos diante do Nacional. No duelo da quinta rodada, o atleta, inclusive, contribuiu com um passe para gol na vitória por 3 a 1 – Jorge Henrique, Sheik e Élton balançaram as redes para o Timão.

Agora, Paulinho experiencia uma fase diferente no Corinthians. O volante retornou aos gramados depois de ter ficado longe dos gramados por 10 meses devido a uma lesão no ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho esquerdo e vai buscando ritmo de jogo.

Paulinho voltou a disputar uma partida no triunfo do Corinthians por 3 a 0 sobre o Londrina, em amistoso disputado no fim de março. Apesar de não ter sido utilizado no empate contra o Racing-URU na estreia da Sul-Americana, o volante tem contrato até junho deste ano e fica à disposição do técnico António Oliveira.

O caso de Cássio, por sua vez, é um pouco diferente do de Paulinho. Quando o Corinthians encarou o Nacional do Paraguai na fase de grupos da Libertadores, o goleiro era o terceiro reserva do grupo e não foi relacionado. Julio César foi o titular e Danilo Fernandes esteve no banco.

No entanto, ao longo daquela edição do torneio, Cássio tomou a posição de Danilo Fernandes no banco de reservas. Com as constantes falhas do titular Julio César, o técnico Tite barrou-o e escalou o atual camisa 12 do time no duelo de ida contra o Emelec, pelas oitavas de final.

Com as boas atuações, Cássio ganhou rapidamente a vaga de titular e também foi decisivo para a conquista daquele título – uma de suas defesas mais marcantes pelo Timão foi contra o Vasco, nas quartas de final, quando levou a melhor contra o atacante Diego Souza no um contra um e mandou a bola para escanteio com a ponta dos dedos.

Dessa forma, essa será a primeira vez que o arqueiro corintiano de fato estará em campo contra o Nacional. Ele esteve no elenco da primeira vez, mas agora terá a experiência de realmente enfrentar os paraguaios.

Gazeta Esportiva

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo