Política

Deputados têm assinaturas para instalar CPI do Crime Organizado


Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados alcançou o número de assinaturas necessárias para pedir a instalação a CPI do Crime Organizado, que surge após a revelação de reuniões de Luciane Barbosa, a “dama do tráfico” do Amazonas, com autoridades do governo Lula.

Quem coleta as assinaturas é o deputado Alfredo Gaspar (União-AL). O número já chega a 177, seis a mais do que o necessário.

O pedido de instalação da CPI conta com endosso apenas de deputados alinhados à oposição e deve ser apresentado à Mesa Diretora.

Gaspar justificou a necessidade da comissão ao citar a existência de um “intrincado esquema de conexões com outros grupos criminosos e uma rede subterrânea de ligações com os quadros oficiais da vida social, econômica e política da comunidade”.

Como revelado pela imprensa em novembro, Luciane Barbosa, esposa de Tio Patinhas, um dos líderes do Comando Vermelho no Amazonas, teve encontros nos ministérios da Justiça e dos Direitos Humanos, assim como no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em 2023.

A “dama do tráfico” circulou livremente pelos corredores do Congresso.

Oficialmente, ela representava uma organização não-governamental (ONG) voltada aos direitos dos presidiários. Segundo a Polícia Civil do Amazonas, a mesma ONG é usada para lavar dinheiro do tráfico.

O caso Luciane Barbosa não é citado no pedido de instalação da CPI.

Um outro incidente, que, sim, é mencionado no documento, foi o plano do Primeiro Comando da Capital (PCC) de sequestrar e assassinar o senador Sérgio Moro (União-PR).

Na quinta-feira, 7, a Polícia Federal (PF) descobriu um novo plano do PCC que visava os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Matéria: O Antagonista

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo