Economia

Do interior de SC a fábrica de bilionários: como Weg conquistou mundo

Em 2023, teve faturamento de R$ 32,5 bilhões. Isso a torna uma das empresas de capital aberto de mais destaque no mundo.

Iniciando suas atividades como uma fabricante de motores elétricos, a Weg expandiu seus horizontes a partir dos anos 1980. Passou a produzir componentes eletroeletrônicos, a atuar em automação industrial, transformadores de força e distribuição, tintas líquidas e em pó, além de vernizes eletroisolantes.

A empresa ainda tem negócios relacionados a inteligência artificial. Em 2020, comprou duas startups, a BirminD, empresa de tecnologia ativa no mercado de Inteligência Artificial, e a MVISIA, especializada em soluções de inteligência artificial.

Atualmente, a companhia possui filiais em 37 países. A Weg opera fábricas em 15 nações distintas, incluindo negócios na China e nos Estados Unidos. O início das exportações começaram na década de 1970 com serviços prestados para Guatemala, Uruguai, Paraguai, Equador e Bolívia. Foi nesse período, em 1976, que abriu seu primeiro escritório na Alemanha.

Para ter noção, em 1999, a empresa detinha 79% do mercado de motores elétricos no Brasil e já exportava 29% de sua produção. Foi apenas em 2001 que a Weg conseguiu conquistar seu primeiro bilhão de reais.

Suas operações globais a colocam em uma competição acirrada com gigantes. Ela é rival de empresas como a alemã Siemens e a francesa Schneider Electric, evidenciando o alcance e a influência da Weg no mercado internacional.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo