Economia

Dólar fecha cotado a R$ 5,074 a espera do Copom; Bolsa fica estável

O que aconteceu

O foco da semana está em falas de autoridades do Fed (Federal Reserve), o banco central dos EUA. Isso ocorre depois que, na semana passada, o chair do banco, Jerome Powell, descartou praticamente a possibilidade de novas altas dos juros este ano.

Além disso, dados de emprego mais fracos do que o esperado elevaram o otimismo global. Os números divulgados na sexta-feira (3) mantiveram vivas as esperanças de que o Fed corte sua taxa básica uma ou duas vezes em 2024.

Mercado espera que os membros do Fed que discursarão ao longo desta semana optem por cautela. Segundo Diego Costa, chefe de câmbio para Norte e Nordeste da B&T Câmbio, os investidores também aguardam que os membros do BC dos EUA peçam mais evidências de desaceleração da inflação e do mercado de trabalho.

Mercado brasileiro espera reunião de política monetária do Banco Central. O BC encerrará sua reunião de política monetária de dois dias na quarta-feira (8) em um cenário de incertezas renovadas que levou o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a abrir as portas em abril para o Copom reduzir o ritmo de cortes na Selic, atualmente em 10,75%, apesar de sua orientação futura mais recente ter indicado manutenção do ritmo de 0,50 ponto.

Economistas consultados em pesquisa da Reuters ficaram divididos quanto ao ritmo de afrouxamento monetário. A maioria agora acredita numa desaceleração para 0,25 ponto, embora parcela expressiva aposte na manutenção do passo de 0,50 ponto. Já probabilidades implícitas em contratos futuros de juros mostram quase 90% de chance de o BC cortar a Selic em apenas 0,25 ponto percentual nesta semana.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo