Notícias

Em manifestação, Bolsonaro defende anistia aos presos pelo 8 de janeiro

Durante as manifestações realizadas em São Paulo no último domingo (25), Jair Bolsonaro (PL) defendeu anistia às pessoas que atualmente estão presas por terem participado dos atos antidemocráticos no dia 8 de janeiro de 2023.

Em seu discurso, o ex-presidente da República também negou ter tentado dar um golpe de Estado.

“O que eu busco é a pacificação, é passar uma borracha no passado. É buscar maneira de nós vivermos em paz. É não continuarmos sobressaltados. É por parte do Parlamento brasileiro (…) uma anistia para aqueles pobres coitados que estão presos em Brasília. Nós não queremos mais que seus filhos sejam órfãos de pais vivos. A conciliação. Nós já anistiamos no passado quem fez barbaridades no Brasil. Agora nós pedimos a todos 513 deputados, 81 senadores, um projeto de anistia para seja feita justiça em nosso Brasil”, disse o político na ocasião.

Leia mais: Atuação de Israel na Faixa de Gaza já deixou quase 29,7 mil mortos

Atualmente, Bolsonaro e diversos aliados são investigados pela suposta tentativa de aplicar um golpe de Estado diante da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022.

Os atos de ontem ocuparam cerca de sete quarteirões da Avenida Paulista. Estimativas apontam que, em seu auge, o protesto reuniu aproximadamente 185 mil pessoas.

Ao convocar seus fãs para as ruas, Bolsonaro havia afirmado anteriormente que esse seria “um ato pacífico, pelo nosso estado democrático de direito, pela nossa liberdade, pela nossa família, pelo nosso futuro”.

Matéria: UOL Notícias

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo