Saúde

Epidemia de dengue já atinge 1 em cada 5 municípios paulistas

O nível de disseminação da dengue já atingiu situação de epidemia em 130 municípios paulistas, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. Isso significa que, nessas cidades, o nível de incidência da doença já ultrapassou os 300 casos para cada 100 mil habitantes, conforme parâmetro utilizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Desde o início do ano, o estado registrou 138.259 casos positivos e 31 mortes pela doença. Outros 122 óbitos são investigados.

O monitoramento dos casos de dengue em São Paulo é realizado por 28 GVEs (Grupos de Vigilância Epidemiológica), cada um responsável por um conjunto de municípios de determinada região. No total, o estado tem 645 municípios.

Dados obtidos em painel de monitoramento do governo mostram que o GVE de São José do Rio Preto concentra o maior número de cidades com epidemia estabelecida: 15, até o momento. Em seguida vêm os GVEs de Taubaté e Bauru, com 13 e 12 municípios em situação epidêmica, respectivamente.

As maiores taxas de incidência foram identificadas em cidades pequenas do interior. No topo da lista fica Brodowski, que teve 5.468 confirmações de dengue para cada 100 mil habitantes. O município com pouco mais de 25 mil habitantes já registrou 1.419 casos nesse ano.

Na sequência estão as cidades de Oriente (5.009 casos a cada 100 mil habitantes), Dois Córregos (4.239 casos a cada 100 mil habitantes), Pederneiras (3.236 casos a cada 100 mil habitantes) e Paraíso (2.869 casos a cada 100 mil habitantes).

Em números absolutos, o GVE da capital é o que concentra mais casos, com 32.508 diagnósticos confirmados até esta terça-feira (5). Em seguida vem o GVE de Campinas (20.303), São José dos Campos (10.678), Mogi das Cruzes (10.427) e Taubaté (10.013). Juntas, as regiões concentram 60% de todos os casos de dengue do estado.

Nesta terça-feira, quando o estado alcançou a marca de 311 casos para cada 100 mil habitantes, o governo estadual decidiu decretar situação de emergência em saúde pública, medida que facilita a compra de insumos e contratações emergenciais para a rede de atendimento. O decreto também permite que o estado solicite o repasse de recursos federais ao Ministério da Saúde.

Segundo a secretária de saúde em exercício, Priscilla Perdicaris, o Alto Tietê, o Vale do Paraíba e o noroeste de São Paulo são as regiões que mais preocupam as autoridades estaduais de saúde do ponto de vista epidemiológico.

O decreto de emergência já foi adotado por 22 municípios paulistas, mas nem todos vivem situação de epidemia no momento. São eles Bariri, Bertioga, Boracéia, Botucatu, Getulina, Guararema, Guaratinguetá, Jacareí, Jandira, Mairiporã, Marília, Mauá, Pederneiras, Pindamonhangaba, Registro, Santa Branca, São Manuel, Sorocaba, Suzano, Taubaté, Votorantim e Votuporanga.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil contabiliza 1.212.263 casos prováveis de dengue e 278 mortes confirmadas pela doença só neste ano. O coeficiente nacional de incidência é de 597 casos para cada 100 mil habitantes.

Informação

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo