Economia

fabrica purificadores de água e fatura R$ 7 milhões

A startup venceu licitações internacionais da ONU, para suas ações humanitárias. A venda dos equipamentos é feita via o Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos (Unops), braço da ONU para implementação de serviços de ajuda humanitária.

Em cinco anos, os purificadores de água foram enviados para 20 países e regiões em situação de conflitos e em crise ambiental. Para a Ucrânia, foram enviados, em 2022, 50 purificadores da PWTech comprados via uma licitação internacional feita pelo Unops.

A empresa também faz doações próprias dos equipamentos em alguns casos. Para a Faixa de Gaza, a PWTech doou 35 purificadores, em 2023. Logo depois, o governo brasileiro comprou, via Agência Brasileira de Cooperação, do Ministério das Relações Exteriores, outros 65 equipamentos para serem enviados para a região.

Silva diz que, neste ano, o governo comprou 65 purificadores PW5660 para levar para os campos de refugiados na Etiópia.

Em 2021, o equipamento foi utilizado no Haiti, para ajudar cerca de 150 mil pessoas afetadas por um terremoto. “Oferecemos 50 equipamentos que foram levados por meio de uma missão humanitária do Ministério das Relações Exteriores”, diz.

No Brasil, a startup fez doação de um purificador para a aldeia Taracoa, do povo yanomami, no Amazonas, em 2022. Depois, a Associação Secoya (Associação Serviço e Cooperação com o Povo Yanomami) comprou mais cinco purificadores.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo