Tecnologia

Figurinhas geradas por IA do WhatsApp reproduzem estereótipos, como Lula ‘paz e amor’ e Bolsonaro ‘grosso’

No início do mês de junho, a Meta divulgou que o Brasil já pode testar um novo recurso no WhatsApp que cria figurinhas a partir de inteligência artificial (IA) generativa. Nas redes sociais, há relatos de brasileiros que utilizam a ferramenta desde maio.

O blog #Hashtag testou o recurso e constata que o método gera imagens consideradas fofas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), enquanto seu antecessor, Jair Messias Bolsonaro (PL), tem sido representado como um personagem bravo.

Oficialmente a função já estava disponível, em inglês, para usuários dos Estados Unidos e outros 13 países desde abril. No Brasil, alguns usuários que já atualizaram essa nova ferramenta do WhatsApp estão compartilhando os resultados nas redes sociais.

Para criar uma figurinha com inteligência artificial no WhatsApp, seu aplicativo precisa estar atualizado. Durante a conversa, deve-se clicar no ícone de emojis e depois no de “post-it”. Se o seu dispositivo estiver habilitado, aparecerá a opção “Usar IA”. Ao descrever a imagem desejada, são criadas quatro figuras que podem ser enviadas durante a troca de mensagens.

Com o termo “presidente Lula”, são geradas imagens de personagens que geralmente sorriem, além da presença da cor vermelha em alguns itens. O mesmo não acontece quando a expressão “presidente Bolsonaro” é digitada. O ex-mandatário é representado por figuras com expressões faciais fortes e que expressam seriedade. A tonalidade verde e amarela também é notada.

De acordo com Giselle Santos, consultora sênior de inovação e transformação digital e fundadora da human:ia, figurinhas geradas por IA são criadas usando algoritmos de aprendizado de máquina que analisam muitos exemplos de figurinhas reais para aprender padrões e criar novas imagens.

“Se houver uma predominância de dados de uma pessoa com traços faciais associados à austeridade, como é comum ao Bolsonaro, ou de outra pessoa sempre sorridente ou com características de popularidade, essas características podem influenciar a geração de imagens pela IA”, diz.

Ela explica também que é fundamental considerar o viés inconsciente que cada pessoa pode ter ao interpretar as imagens geradas por IA. “Essas diferentes interpretações destacam a importância de uma análise crítica e sensível ao avaliar as imagens geradas por IA, especialmente no que diz respeito à percepção de emoções e características pessoais”.

A nova ferramenta não permite que se crie figurinhas com a menção de palavrões. Quando acontece, o usuário recebe a seguinte mensagem: “Não foi possível gerar figurinhas usando a inteligência artificial”. No entanto, ao se buscar pelo termo “macaco”, o usuário recebe o mesmo alerta, o que sugere que a ferramenta compreende o nome do primata como ofensivo. Outros animais não são interpretados da mesma forma.

Mariana Ochs, coordenadora do EducaMídia, programa de educação midiática do Instituto Palavra Aberta, comenta que na corrida por esse mercado, as empresas de tecnologia estão lançando recursos incompletos: “Se a gente não tomar cuidado e corrigir, as IAs generativas vão amplificar qualquer tipo de viés que está presente na sociedade e, portanto, nas bases de dados que as treinaram”.

Questionada sobre os critérios que definem as características das imagens geradas, a Meta diz que a empresa está “começando a testar figurinhas com inteligência artificial em outros idiomas, incluindo o português”. A empresa afirma que irá compartilhar mais informações sobre o recurso posteriormente.

Na central de ajuda do WhatsApp, são ensinados os passos para denunciar uma figurinha incorreta recebida no aplicativo. Para isso, toque na imagem, pressione o ícone de três pontos e, em seguida, em “denunciar”.

É possível fazer o mesmo com uma figurinha criada por autoria própria no momento da criação. Basta tocar no ícone de três pontos e, em seguida, em “denunciar”. Após, selecione a figurinha inadequada e o motivo do problema. Se preferir, toque e segure a figurinha criada e, em seguida, em “denunciar”.

Na última quinta-feira (6), Mark Zuckerberg, CEO da Meta, apareceu em vídeo durante o evento Meta Conversations, realizado em São Paulo, e disse que os brasileiros, além de engajar mais enquetes e gravar mais áudios, são o povo que mais envia figurinhas no WhatsApp.

Em julho, está programado que a big tech lance, no Brasil, sua assistente de inteligência artificial integrada ao WhatsApp. O robô virtual que recebeu o nome de “IA da Meta” será usado para tirar dúvidas e gerar imagens realistas.

Veja alguns resultados de usuários que já estão criando figurinhas com inteligência artificial no WhatsApp:


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar sete acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo