Política

governo reconhece que acordo UE-Mercosul subiu no telhado

O comunicado conjunto Mercosul-União Europeia, publicado nesta quinta-feira, 7, pelo Itamaraty, é curto e rápido ao indicar que o acordo de livre comércio esperado pelos dois blocos subiu no telhado e não vai ser anunciado agora, como queria Lula.

“A UE e o Mercosul estão engajados em discussões construtivas com vistas a finalizar as questões pendentes no âmbito do Acordo de Associação”, indica o Itamaraty, se valendo da linguagem diplomática para não se dizer, diretamente, o que se diz. “Nos últimos meses, registaram-se avanços consideráveis. As negociações prosseguem com a ambição de concluir o processo e alcançar um acordo que seja mutuamente benéfico para ambas as regiões e que atenda às demandas e aspirações das respectivas sociedades.”

Desde o final de semana, já se sabia que o acordo não sairia do papel. Após um encontro com Lula em Dubai (onde ambos participaram da COP28), o presidente francês Emmanuel Macron passou a criticar abertamente a proposta, chamando-a de antiquada.

Quando chegou a uma agenda em Berlim, Lula tentou tirar a responsabilidade de si — e colocar a culpa toda de um fracasso no lado de Paris. “Não é apenas o Macron – o Macron, o [Nicolas] Sarkozy, o [Jacques] Chirac, o François Hollande”, disse Lula, listando antecessores no Palácio do Eliseu. “Nenhum deles se propõe a fazer acordo com o Mercosul, porque eles têm problemas políticos e financeiros com os produtores franceses. Respeitamos a posição deles, mas o que eu não posso dizer é que a gente não vai assinar.”

O comunicado desta quinta-feira do Itamaraty,…

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.

Matéria: O Antagonista

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo