Tecnologia

Holanda proíbe vendas da ASML para a China

O governo da Holanda anunciou que está bloqueando as exportações da ASML para a China. A empresa é a maior fornecedora de sistemas de litografia para a indústria de chips semicondutores. A decisão foi tomada após pressão dos Estados Unidos e faz parte da disputa tecnológica que está sendo chamada de “a guerra dos chips“.

Leia mais



Segundo comunicado da ASML, as autoridades da Holanda revogaram parcialmente uma licença de exportação dos sistemas de litografia NXT:2050i e NXT:2100i para a China. As restrições foram adotadas após um acordo firmado entre os governos da Holanda, Japão e EUA para limitar o acesso de Pequim a tecnologias avançadas de semicondutores.

A ASML é especializada em fotolitografia, processo que usa a luz para imprimir em superfícies fotossensíveis e considerado chave para a fabricação de chips. Após o anúncio, as ações da empresa caíram mais de 1%. Apesar disso, a companhia acredita que a proibição das vendas não irá afetar fortemente seus caixas.

Não esperamos que a revogação atual de nossa licença de exportação ou as últimas restrições de controle de exportação dos EUA tenham um impacto material em nossas perspectivas financeiras para 2023.

ASML, em comunicado

Em resposta, o Ministério das Relações Exteriores da China pediu que o governo da Holanda mantenha “uma postura objetiva e justa” e tome medidas práticas para salvaguardar os interesses comuns de Pequim, de Amsterdã e das empresas dos dois países.

A China sempre se opôs à generalização dos Estados Unidos do conceito de segurança nacional e ao uso de várias desculpas para coagir outros países a impor um bloqueio tecnológico contra a China. O comportamento dos EUA viola seriamente as regras do comércio internacional e prejudica seriamente a indústria global de semicondutores.

Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores

As informações são do The Wall Street Journal.

startups guerra dos chips
Disputa entre Estados Unidos e China pela hegemonia na produção de chips (Imagem: Quality Stock Arts / Shutterstock.com)

Guerra dos chips

Além de fomentar a produção nacional de chips e o desenvolvimento da inteligência artificial, o governo dos Estados Unidos tenta impedir o acesso da China aos produtos.

Pequim foi impedida não apenas de importar os chips mais avançados, mas também de adquirir os insumos para desenvolver seus próprios semicondutores e supercomputadores avançados, e até mesmo dos componentes, tecnologia e software de origem americana que poderiam ser usados para produzir equipamentos de fabricação de semicondutores para, eventualmente, construir suas próprias fábricas para fabricar seus próprios chips.

Além disso, cidadãos norte-americanos não podem mais se envolver em qualquer atividade que apoie a produção de semicondutores avançados na China, seja mantendo ou reparando equipamentos em uma fábrica chinesa, oferecendo consultoria ou mesmo autorizando entregas a um fabricante chinês de semicondutores.

Importância dos semicondutores

  • Nos últimos anos, os chips semicondutores se tornaram uma força vital da economia moderna e o cérebro de todos os dispositivos e sistemas eletrônicos, de iPhones até torradeiras, data centers a cartões de crédito.
  • Um carro novo, por exemplo, pode ter mais de mil chips, cada um gerenciando uma operação do veículo.
  • Os semicondutores também são a força motriz por trás das inovações que prometem revolucionar a vida no próximo século, como a computação quântica e a inteligência artificial, como o ChatGPT, da OpenAI.

Olhar Digital

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo