Economia

Ibovespa sucumbe à inflação dos EUA, volta aos 128 mil pontos; nem IPCA e PETR4 ajudam

Hoje, o destino do Ibovespa estava selado antes mesmo da abertura. Com os EUA anunciando uma inflação de março ao consumidor (CPI) mais forte do que o esperado, logo de manhã, o chão sumiu debaixo dos pés dos investidores e o que se viu foi um desmoronar dos ativos. O principal índice em São Paulo caiu 1,41%, aos 128.053 pontos, uma perda considerável de mais de 1,8 mil pontos. O CPI derrubou também os índices em Wall Street. Uma degringolada geral.

A preocupação central é saber, agora, quando o Federal Reserve vai começar o ciclo de queda de suas taxas de juros. A chance de baixa de juros em junho caiu de 50% para 19% após dados de inflação, segundo a ferramenta do CME.

Andressa Durão, economista ASA Investments,  avalia que a surpresa no CPI leva a revisões altistas no PCE (o índice de inflação preferido do Fed para fins de política monetária), embora os itens que contribuíram para a alta desse primeiro indicador de março não pressionem tanto o segundo indicador, que será divulgado no final do mês. Para ela, a inflação ao produtor (PPI), que será divulgada amanhã, trará informações mais precisas sobre a inflação dos cuidados de saúde no mês, alterando as projeções para o PCE. Assim, ela também acha que o dado de hoje reduz muito as chances de um corte de juros pelo Fomc na reunião de junho: “ainda temos alguns dados de inflação até lá; mas, mesmo que venham baixos, não devem ser suficientes para deixar o Fed confortável em iniciar o ciclo de queda”.

Juliano Camargo, economista da AZ Quest, concorda, e destaca que a narrativa das duas últimas reuniões do Fed de que o processo de normalização monetária poderia começar ainda no primeiro semestre não foi corroborada pelos indicadores de inflação e mercado de trabalho. Ele apresenta um quadro ainda mais pessimista: “a queda nos juros deve ser postergada para o segundo semestre, se é que acontece ainda esse ano, dado que vários diretores do banco central americano já voltaram a aventar novas altas caso os dados se mostrem menos favoráveis, como inflação persistentemente mais alta”.

Até mesmo o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, torceu o nariz para os números norte-americanos, que classificou como “bastante ruins”. “As circunstâncias externas, dado que o grande padrão de liquidez mundial está baseado no que acontece com a taxa de juros norte-americana… eu diria que em termos de taxa de juro americana, mudou tudo”, referindo-se às perspectivas de que o ciclo de corte lá pode não iniciar em junho.

Na falta de uma notícia ruim, ainda teve a ata do Fomc, sobre a reunião de março. Tida como uma ata velha, desatualizada, devido ao CPI divulgado hoje, o documento não apresentou nenhuma brecha para otimismo aos investidores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, teve especialista dizendo que é hora de se livrar das ações de tecnologia por lá, o que ajudou as big techs a caírem.

Ibovespa não surfa números positivos do IPCA

No Brasil, pelo menos, houve algum respiro, alguma boa notícia. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o indicador de inflação oficial do País, desacelerou para 0,16% em março, após subir 0,83% em fevereiro. No ano, o IPCA acumula alta de 1,42% e, nos últimos 12 meses, de 3,93%. Em março de 2023, a variação havia sido de 0,71%.

A inflação no Brasil está controlada, apresentado uma elevação cada vez menor, enquanto o nível de desemprego diminui, na visão do Ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Em entrevista a jornalistas, o ministro ponderou que o cenário econômico segue desafiador, com necessidade de um equacionamento das contas públicas, destacando a expectativa de votações importantes no Congresso Nacional que têm efeito fiscal.

Mas a boa notícia aqui no nosso quintal não foi suficiente para animar os negócios. Além da queda ampla do Ibovespa, o dólar comercial também foi impactado e disparou 1,41%, a R$ 5,07, e os DIs (juros futuros) subiram com amplitude por toda a curva, seguindo a alta dos Treasuries nos EUA.

Só Petrobras se salvou – junto com júniores oils

O resultado foi um desânimo total no Ibovespa. A Petrobras (PETR4) foi uma das únicas a se salvar: subiu com consistência, mais 2,22%. O motor da alta foi uma tranquilizada na crise política que vinha se abatendo sobre a petroleira, com Prates se segurando no cargo e apresentando feitos. A estatal ainda ganhou impulso com a alta internacional do petróleo, com as tensões no Oriente Médio fervendo; e com uma descoberta importante de petróleo na Bacia Potiguar.

A alta do petróleo ajudou as petro juniores, que apresentaram alguns ganhos, especialmente Enauta (ENAT3), com 1,88%, ao projetar finalização do acordo de fusão com a 3R Petroleum (RRRP3) até o final do primeiro semestre, disse à Reuters o CEO da petroleira, Décio Oddone, após as empresas anunciarem mais cedo suas intenções em um memorando de entendimento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As boas notícias para os investidor se encerraram por aqui. O resto azedou tudo. Foram apenas cinco ativos terminando no azul. Vale (VALE3), por exemplo, perdeu 1,52%, mesmo com o minério de ferro em alta na China. Os bancos recuaram, com Bradesco (BBDC4) descendo 2,11% e Itaú Unibanco (ITUB4) caindo igualmente 2,11%. B3 (B3SA3) despencou 3,47%.

As varejistas caíram, com a alta dos DIs e dos Treausires, o que drenou o dinheiro dos ativos de risco: Lojas Renner (LREN3) caiu 5,32% e Magazine Luiza (MGLU3) perdeu 2,75%.

Amanhã, tem PPI (inflação ao produtor nos EUA), que tem potencial de intensificar o amargor do mercado. Os tempos são difíceis, mas há espaço para alguma esperança? Afinal, é aquela história: depois de toda tempestade… (Fernando Augusto Lopes)

Confira as últimas dos mercados

update 17h34

Ibovespa: maiores quedas do dia

Ativo Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Azul AZUL4 -6,93 12,76 -0,95 16.774 -1,54 -2,15 -20,30
Petz PETZ3 -6,19 3,79 -0,25 18.974 -4,05 -12,87 -4,05
CSN Mineração CMIN3 -6,08 5,10 -0,33 21.634 0,00 -3,77 -34,30
CVC CVCB3 -5,38 2,46 -0,14 27.727 -9,89 -15,17 -29,71
Lojas Renner LREN3 -5,32 16,37 -0,92 25.848 -3,36 -3,59 -5,25
Arezzo ARZZ3 -5,02 53,95 -2,85 19.182 -4,65 -16,06 -16,40
CSN CSNA3 -4,97 14,35 -0,75 22.926 -4,01 -8,60 -27,01
update 17h17

Fechamento dos demais índices brasileiros

Índice Dia (%) Pontos
Small Caps SMLL -1,89 2.215,72
BDRs BDRX 1,04 16.286,04
Fundos Imobiliários IFIX -0,07 3.418,43
update 17h15

Ibovespa fecha com queda de 1,41%, aos 128.053,74 pontos

  • Máxima: 129.871,64
  • Mínima: 127.731,77
  • Diferença para a abertura: -1.836,63 pontos
  • Volume: R$ 23,80 bilhões

Confira a evolução do IBOV durante a semana, mês e ano:

  • Segunda-feira (8): +1,63%
  • Terça-feira (9): +0,80%
  • Quarta-feira (10): -1,41%
  • Semana: +0,99%
  • Abril: -0,04%
  • 2T24: -0,04%
  • 2024: -4,57%
update 17h13

Agora, no programa GainDelas, no canal do YouTube: o que o trader deve fazer para tirar dinheiro do mercado, com Rodrigo Cohen

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

update 17h05

Dólar comercial termina dia com forte alta de 1,41%

O dólar interrompe uma sequência de duas quedas consistentes seguidas diante do real, em movimento semelhante ao da divisa norte-americana na comparação com as principais moedas do mundo, com o DXY em alta de 0,98%. O relatório de inflação ao consumidor em março nos EUA (CPI) subiu mais do que o esperado e pressionou a procura por dólares em todo o mundo.

  • Venda: R$ 5,077
  • Compra: R$ 5,077
  • Mínima: R$ 5,000
  • Máxima: R$ 5,085
update 17h02

Principais índices em Nova York encerram dia com fortes quedas

Investidores em Wall Street foram surpreendidos com um relatório de inflação ao consumidor em março mais forte do que o esperado. “À medida que continuamos a ver vários relatórios consecutivos acima do esperado, torna-se mais difícil para o Fed defender o corte das taxas em breve”, disse à CNBC Chris Zaccarelli, diretor de investimentos da Independent Advisor Alliance. Embora os mercados tenham conseguido livrar-se dos dados de inflação elevados de janeiro e fevereiro, os sinais de inflação persistente estão à espreita, de acordo com Eric Diton, presidente e diretor-geral da The Wealth Alliance. “Este é um catalisador tão bom quanto qualquer outro. Não acho que este seja o fim do mercado altista. Mas acho que é uma desculpa para muitas pessoas que tiveram muitos ganhos colocarem alguns desses ganhos no bolso”, disse Diton.

Dia (%) Pontos
Dow Jones -1,09 38.460,98
S&P 500 -0,95 5.160,58
Nasdaq -0,84 16.170,36
update 16h55

Ibovespa fecha preliminarmente com queda de 1,42%, aos 128.050,10 pontos

update 16h47

Índice de BDRs (BDRX) sobe 1,02%, aos 16.282,37 pontos, nova máxima do dia

update 16h47

Ibovespa entra nos minutos finais se segurando nos 128 mil: queda de 1,37%, aos 128.113,35 pontos

update 16h43

Na reta final, entre as small caps, maior alta é de GFSA3, com 13,45%, seguida de AALR3, com 2,06%

update 16h42

Petrobras (PETR4): Prates deve continuar no cargo

Fontes do governo dizem que pressão para demitir Jean Paul Prates da presidência da Petrobras (PETR4) diminuiu.

update 16h42

Na reta final, entre as small caps, maior queda é de MLAS3, com 11,15%, seguida de IFCM3, com 8,51%

update 16h33

Petroleiras são uma das poucos ações em alta: PETR3, +2,69%; PETR4, +1,86%; RECV3, +0,60% e PRIO3, +0,14%

update 16h26

Bancos acentuam perdas em meio à fuga do risco após inflação de consumo (CPI) de março acima da expectativa nos EUA

Bancos sofrem com aversão global ao risco neste final do pregão: ITUB4, -2,56%; BBDC4, -2,11%; BBAS3, -1,58% e SANB11, -3,61%.

update 16h14

Dólar mantém alta forte: +1,45%, a R$ 5,079 (compra) e R$ 5,080 (venda)

update 16h10

Ibovespa renova mínima: 127.731 pontos (-1,66%)

update 16h08

Ibovespa cai mais um pouco: -1,63%, a 127.770 pontos (a mínima do dia)

update 16h07

Ibovespa renova a mínima: 127.816 pontos (-1,60%)

update 16h05

Banco Central informa a PTAX de fechamento com compra a R$ 5,0648 e venda a R$ 5,0654; dia termina com alta de 1,15%

COMPRA VENDA
Ontem 5,0074 5,0080
1ª parcial 5,0530 5,0536
2ª parcial 5,0608 5,0614
3ª parcial 5,0719 5,0725
4ª parcial 5,0734 5,0740
update 15h52

Ibovespa: mais negociadas do dia até aqui

Ativo Negócios Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Petrobras PN PETR4 69.156 1,70 39,39 0,66 3,39 5,43 5,77
B3 B3SA3 37.043 -3,63 11,94 -0,45 -0,50 -0,42 -16,67
Itaú Unibanco ITUB4 33.062 -2,14 32,85 -0,72 0,37 -5,13 0,65
Vale VALE3 32.765 -1,44 61,65 -0,90 3,25 1,35 -16,57
Bradesco PN BBDC4 31.490 -1,84 14,44 -0,27 -0,55 1,38 -15,14
Magazine Luiza MGLU3 30.636 -2,75 1,77 -0,05 3,51 -1,67 -17,54
Petrobras ON PETR3 28.059 2,61 40,84 1,04 4,61 6,69 4,77
update 15h47

Preços internacionais de petróleo fecham com altas

Os preços subiram com os comerciantes vendo um ataque “iminente” do Irã contra Israel, o que faria a guerra voltar a escalar. Seria um grande ataque com mísseis ou drones, disseram pessoas familiarizadas com a inteligência à Bloomberg. O possível ataque pode acontecer nos próximos dias. As tensões no Oriente Médio estão em alta, com Israel alertando o Irã, membro da OPEP, na quarta-feira, de que atacaria a República Islâmica se Teerã atacar Israel. “Se o Irã atacar a partir de seu território, Israel reagirá e atacará o Irã”, disse o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, no Twitter, marcando o líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

  • WTI (maio): +1,15%, a US$ 86,21
  • Brent (junho): +1,19%, a US$ 90,48
update 15h44

B3 (B3SA3) segue com forte queda: menos 3,47%, a R$ 11,96

update 15h37

Braskem (BRKM5) é responsável por afundamento em Maceió (AL), diz diretor em CPI

Empresa deve finalizar reparos no solo apenas em 2026.

update 15h35

Ibovespa: apenas sete ativos sobem nesta quarta; entre eles Petrobras, com +2,64% (PETR3) e +1,86% (PETR4)

update 15h29

Ibovespa não mexeu no ritmo de recuo após ata do Fed; no momento, menos 1,41%, aos 128.062,57 pontos; antes da divulgação, a queda era de 1,44%

O conteúdo da ata pouco mexeu nos ativos, porque já chegou ultrapassada, sem abranger o dado divulgado hoje de uma inflação ao consumidor (em março) mais forte do que o esperado pelo mercado. Os investidores estão quinze dias a frente do documento e entendem que o início dos cortes foi adiado, com analistas vendo apenas um corte em 2024, em vez de três, como antes do CPI divulgado hoje. O levantamento do CME mostrou, após o CPI de hoje, que o adiamento do início passou de junho para setembro.

update 15h24

Principais índices em Nova York reduzem levemente o ritmo de quedas após a ata do Fed

  • Dow Jones: -1,30% (antes da ata: -1,40%)
  • S&P 500: -1,13% (antes da ata: -1,20%)
  • Nasdaq: -1,09% (antes da ata: -1,13%)
update 15h22

Ata do Fed: todos concordaram que, ao avaliarem a orientação adequada da política monetária, continuariam a monitorizar as implicações das informações recebidas para as perspectivas econômicas

“Todos estariam preparados para ajustar a orientação da política monetária conforme apropriado, caso surjam riscos que possam impedir a consecução dos objetivos do Comitê”, segue a ata. “Os membros também concordaram que as suas avaliações levariam em conta uma ampla gama de informações, incluindo leituras sobre as condições do mercado de trabalho, pressões inflacionárias e expectativas de inflação, e desenvolvimentos financeiros e internacionais”.

update 15h20

Ata do Fed: membros do Fomc concordaram que a atividade econômica vinha se expandindo a um ritmo sólido; os ganhos de emprego permaneceram fortes e a taxa de desemprego permaneceu baixa

update 15h18

Ata do Fed: crédito continuou disponível para a maioria das empresas, famílias e municípios

“As grandes empresas não financeiras continuaram a considerar o crédito geralmente acessível. O financiamento do mercado de capitais foi robusto durante o período entre reuniões, enquanto os saldos dos empréstimos comerciais e industriais aumentaram modestamente. Para as pequenas empresas, as originações de empréstimos mantiveram-se estáveis, apesar da maior restrição dos critérios de concessão de crédito”, diz o documento.

update 15h17

Ata do Fed: tanto o núcleo do PCE quanto a manchete, nas medidas de 12 meses, continuaram a apresentar tendência descendente, embora as leituras mensais de janeiro tenham subido

update 15h15

Ata do Fed: CPI continuou a diminuir, mas os progressos recentes foram desiguais

A ata não contempla o número mais recente divulgado hoje, mas sim o cenário em março, quando da última reunião.

update 15h14

BC informa que o IBC-Br de fevereiro será divulgado no dia 17 de abril, às 9h

update 15h14

Ata do Fed: variação de 12 meses no rendimento médio por hora foi essencialmente a mesma em fevereiro e no final do ano passado, e manteve-se bem abaixo do nível de há um ano

update 15h13

Ata do Fed: o payroll aumentou a um ritmo médio mensal mais rápido em janeiro e fevereiro do que no quarto trimestre

“Em contraste, a taxa de desemprego subiu para 3,9% em fevereiro, enquanto a taxa de participação da força de trabalho e a razão emprego/população permaneceram essencialmente inalterados”, diz a ata.

update 15h11

Ata do Fed: procura e a oferta de trabalho parecem continuar a evoluir para um melhor equilíbrio, embora os indicadores recentes tenham sido mistos

update 15h11

Mercados pouco reagem a ata do Fomc; sentimento de aversão ao risco com alta da inflação nos EUA predomina

update 15h10

Barclays, após CPI mais forte, projeta apenas um corte de taxas em 2024; taxas devem ficar entre 4,00% e 4,25% ao fim de 2025

update 15h09

Ata do Fed: projeção econômica do banco central em março foi mais forte do que a previsão de janeiro, graças a uma população projetada mais alta, devido à imigração

update 15h08

Ata do Fed: é prudente começar a desacelerar o ritmo de escoamento do balanço em breve

update 15h07

Ata do Fed: as condições financeiras podem não estar tão restritivas quando desejado, o que pode colocar pressão para aumentar a inflação

update 15h06

Ata do Fed: riscos geopolíticos podem causar gargalos de fornecimento mais graves

update 15h05

Ata do Fed: há incerteza sobre a persistência da alta inflação

update 15h04

Ata do Fed: dados recentes não aumentaram a confiança de que a inflação estava caminhando de forma sustentável para a meta

update 15h04

Roberto Campos Neto, presidente do BC, encerra entrevista na Globonews

update 15h03

Ata do Fed: riscos para alcançar o melhor nível de emprego e inflação dentro da meta estão se reequilibrando

update 15h03

Campos Neto: inflação alta cria desigualdade

update 15h02

Ata do Fed: os participantes do Fomc notaram que o processo de desinflação estava continuando em um caminho desigual, como esperado

update 15h02

Campos Neto: Haddad está fazendo um esforço muito grande e difícil

update 15h01

Ata do Fed: quase todos os participantes da reunião do Fed em março julgaram que seria apropriado uma posição de política menos restritiva em algum momento deste ano

update 15h00

Campos Neto descarta entrar na política e disse que nunca passou na cabeça abrir fintech em Miami

update 14h59

Campos Neto: Tem tido muito pouco ruído hoje sobre o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras)

update 14h57

Campos Neto: Todos os economistas erraram muito sobre crescimento (da economia)

update 14h56

Campos Neto: Estou sempre aberto a conversar com o presidente Lula

update 14h55

Campos Neto volta a dizer que a discussão do projeto de autonomia financeira é técnica

update 14h54

Principais índices em Nova York apresentam fortes recuos desde a abertura, com CPI mais forte; investidores agora esperam ata do Fed

  • Dow Jones: -1,40%
  • S&P 500: -1,20%
  • Nasdaq: -1,13%
update 14h54

Campos Neto tem encontro com o senador Davi Alcolumbre, presidente da CCJ, esta noite, para discutir temas que envolvem o BC no Congresso

update 14h53

Treasuries seguem em alta ampla desde que o CPI mais forte foi divulgado; ata do Fed a ser divulgada em instantes pode ser outro catalisador

O documento do banco central norte-americano será divulgado em instantes, às 15h, Horário de Brasília.

  • Título de 2 anos: +0,209 pp, a 4,956%
  • Título de 10 anos: +0,178 pp, a 4,544%
update 14h51

Campos Neto: Estamos sendo asfixiado na parte orçamentário; não é verdade que os funcionários estão contra (a autonomia financeira)

update 14h51

Dólar comercial sobe 1,51%, a R$ 5,083 na compra e na venda, antes da ata do Fed; alta está impulsionada pela inflação nos EUA mais alta do que o esperado

update 14h50

Ibovespa recua 1,44%, aos 128.025,16 pontos, minutos antes da ata do Fed ser divulgada; recuo está ligado ao CPI mais forte nos EUA

update 14h49

Campos Neto diz que novo presidente deve saber dizer “não”

update 14h49

Biden: notícias da inflação mostram que talvez seja preciso adiar os cortes (das taxas)

update 14h49

Campos Neto: Quero fazer a transição (da presidência) mais suave possível

update 14h49

Biden: não sei o que o Fed fará, mas nós temos um plano para lidar com a inflação

update 14h48

Campos Neto volta a dizer que o governo deve definir novo presidente do BC antes do final do ano; ele sugere agosto e setembro

update 14h47

Campos Neto: BC vai analisar os dados de hoje da inflação nos EUA (acima da expectativa)

update 14h45

Campos Neto: a relação não é mecânica (com aumento de juros futuros nos EUA)

update 14h45

Campos Neto: O cenário hoje não mudou substancialmente

update 14h44

Campos Neto: Nossa balança no exterior está muito melhor que no passado

update 14h44

Campo Neto: O dado (do IPCA de março) no Brasil foi bom

update 14h43

Campos Neto: A gente tinha falado de incerteza do processo de desinflação americana

update 14h42

Campos Neto alerta para falta de liquidez nos mercados globais por conta da necessidade de pagamento de rolagem de dívida pública

update 14h41

Campos Neto: Se a taxa de juros nos EUA vai ficar mais alta, ela vai ficar mais alta por mais tempo lá

update 14h40

Campos Neto: Mercado de trabalho nos EUA está aquecido

update 14h40

Campos Neto: Inflação de serviços nos EUA começou a subir

update 14h39

Campos Neto: Dado americano de inflação (anunciado hoje) foi bastante ruim

Presidente do BC concede entrevista neste momento à Globonews.

update 14h30

Dólar em alta: +1,27%, a R$ 5,070 (compra) e R$ 5,071 (venda)

  • Máxima do dia: R$ 5,081
  • Mínima do dia: R$ 5,000
update 14h27

Ibovespa segue em baixa: -1,08%, aos 128.509 pontos

  • Máxima do dia: 129.871 pontos
  • Mínima do dia: 128.044 pontos
update 14h11

Haddad descarta aumento para servidores em 2024: “Orçamento está fechado”

Declarações foram dadas em rápida entrevista coletiva, após reunião da Junta de Execução Orçamentária (JEO), a pedido da ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck.

update 13h56

Dólar em alta: +1,43%, a R$ 5,078 (compra) e R$ 5,079 (venda)

update 13h55

Ibovespa opera em baixa de -1,20%, aos 128.333 pontos

update 13h43

Grandes bancos caem em bloco, com perdas consistentes: BBAS3, -1,40%; BBDC4, -1,84%; ITUB4, -1,73%; SANB11, -2,97%

update 13h29

Administradoras de shoppings recuam com amplitude nesta tarde: ALOS3, -2,15%; IGTI11, -2,38%; MULT3, -2,49%

update 13h23

Ações do setor de saneamento caem nesta quarta: CSMG3, -1,01%; SAPR11, -1,55%; SBSP3, -0,78%

update 13h19

Vale (VALE3) começa parte da tarde da sessão da mesma forma que abriu, com forte queda; no momento, menos 1,57%, a R$ 61,56

update 13h18

Lojas Renner (LREN3) recua 3,88%, a R$ 16,62, mínima do dia

update 13h15

Chefe do clima da ONU diz que humanidade tem 2 anos para salvar o planeta

Governos, líderes empresariais e bancos de desenvolvimento têm apenas dois anos para tomar medidas a fim de evitar uma mudança climática muito pior, disse Simon Stiell, secretário-executivo da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, em um discurso alertando que o aquecimento global está perdendo espaço na agenda dos políticos. Os cientistas afirmam que reduzir pela metade as emissões de gases do efeito estufa até 2030 é crucial para impedir um aumento de mais de 1,5ºC nas temperaturas globais em relação aos níveis pré-industriais, o que desencadearia um clima mais extremo. No entanto, no ano passado, as emissões mundiais de CO2 relacionadas à energia aumentaram para um nível recorde. Os compromissos atuais de combate às mudanças climáticas praticamente não reduziriam as emissões globais até 2030. “Ainda temos uma chance de fazer com que as emissões de gases do efeito estufa caiam, com uma nova geração de planos climáticos nacionais. Mas precisamos desses planos mais fortes, agora”, disse Stiell. (Reuters)

update 13h12

Principais índices em Nova York seguem operando com fortes baixas

  • Dow Jones: -1,29% (na abertura: -0,96%)
  • S&P 500: -1,12% (na abertura: -1,08%)
  • Nasdaq: -1,09% (na abertura: -1,26%)
update 13h10

Petrobras (PETR3 PETR4) segue com altas consistentes: +2,59% e +1,99%

update 12h59

Goldman Sachs muda expectativas de início de cortes da taxa do Fed para julho, após dados quentes do CPI

O Goldman Sachs disse hoje que espera que o Federal Reserve comece a reduzir as taxas de juros a partir de julho, em comparação com sua projeção anterior de junho, após dados de inflação mais quentes do que o esperado. (Reuters)

update 12h55

Ibov tem nova mínima: 128.158,11 pontos, com -1,33%

update 12h54

Índice Small Caps tem nova mínima, com -1,87%; maiores perdas são IFCM3 (-8,51%), CBAV3 (-6,53%) e CEAB3 (-5,79%)

update 12h53

Com Ibov em queda consolidada, somente 6 ativos sobem hoje: PETR3, PETR4, RECV3, SLCE3, EMBR3 e VIVT3

update 12h51

Grandes bancos ampliam quedas; SANB11 tem a maior perda do dia, com -3,11%, a R$ 27,40

update 12h45

Ibov tem nova mínima, com -1,31%, aos 128.183,21 pontos

update 12h43

Encruzilhada fiscal: os 5 fatores que podem levar o governo a mudar a meta de 2025

Decisão será conhecida na apresentação do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2025, que precisa ocorrer até segunda-feira (15).

update 12h43

Dólar comercial continua a trajetória de alta e sobe 1,40%, a R$ 5,077

update 12h42

Principais índices na Europa fecham dia de forma mista, à espera do BCE

Investidores nos mercados europeus aguardam a decisão de taxa de juros do Banco Central Europeu nesta quinta-feira. A expectativa é por manutenção da taxa de juros em 4,50%, mas os ouvidos e olhos estão voltados para o comunicado da autoridade monetária, que pode indicar quando começará o ciclo de queda. Hoje, a alta inflação do CPI nos EUA não fez ainda tanto estrago. Projeta-se maior contato amanhã.

Dia (%) Pontos
Stoxx 600 Europa 0,13 506,46
DAX Frankfurt 0,03 18.084,25
FTSE 100 Londres 0,27 7.956,31
CAC 40 Paris -0,05 8.045,38
IBEX 35 Madri -0,45 10.767,50
FTSE MIB Milão 0,29 34.044,00
update 12h42

Ibov continua a cair e renova mínima, com -1,27%, aos 128.244,11 pontos

update 12h41

Ibov tem nova mínima, com -1,21%, aos 128.312,47 pontos

update 12h37

Companhias aéreas ampliam perdas; AZUL4 cai 5,03% e GOLL4 recua 3,46%

update 12h36

Ações de Eletrobras (ELET3 ELET6) ampliam perdas, com -2,16% e -1,72%

update 12h35

Futuros de gás natural sobem 0,80% na NYMEX; contratos são para maio

update 12h35

OMC prevê que comércio global vai se recuperar de forma lenta, porém constante

Para a Organização Mundial do Comércio, o abrandamento das pressões inflacionárias deve ajudar a elevar volume do comércio de mercadorias em 2,6% em 2024 e 3,3% em 2025, após declínio de 1,2% em 2023.

update 12h32

Ações de Petrobras ampliam ganhos; PETR3 sobe 2,71% e PETR4 avança 2,25%

update 12h29

Ibovespa: maiores altas do dia até aqui

Ativo Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Petrobras ON PETR3 2,41 40,76 0,96 13.919 4,41 6,48 4,57
Petrobras PN PETR4 1,88 39,46 0,73 39.792 3,57 5,62 5,96
Petrorecôncavo RECV3 1,33 22,09 0,29 5.899 4,94 -6,20 1,70
SLC Agrícola SLCE3 1,17 19,86 0,23 3.301 2,74 0,40 5,53
Embraer EMBR3 0,74 32,79 0,24 5.862 1,27 -1,56 46,45
ISA Cteep TRPL4 0,23 26,61 0,06 5.471 3,30 7,21 0,42
WEG WEGE3 0,03 38,81 0,01 7.419 2,16 1,60 6,16
update 12h27

Ibovespa: maiores quedas do dia até aqui

Ativo Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Azul AZUL4 -5,18 13,00 -0,71 7.858 0,31 -0,31 -18,80
CSN Mineração CMIN3 -4,24 5,20 -0,23 7.172 1,96 -1,89 -33,01
Vamos VAMO3 -4,04 8,32 -0,35 4.417 4,00 -0,36 -17,38
CVC CVCB3 -3,85 2,50 -0,10 7.046 -8,42 -13,79 -28,57
Petz PETZ3 -3,71 3,89 -0,15 3.717 -1,52 -10,57 -1,52
CSN CSNA3 -3,58 14,56 -0,54 7.323 -2,61 -7,26 -25,94
Carrefour CRFB3 -3,56 13,00 -0,48 3.647 -2,99 -4,62 4,42
update 12h26

Mercadante evita falar de Petrobras (PETR4) em evento no BNDES

O presidente do BNDES foi especulado como CEO da Petrobras, no lugar de Prates.

update 12h25

Lula: ano passado foi de martírio, mas com o tempo a arrecadação subiu, a inflação caiu e a gente começa a ver que tudo vai ficar bem

“2024 é o ano da colheita”, afirmou o presidente.

update 12h24

Grandes bancos ampliam perdas; SANB11 cai 2,58%, BBDC4 recua 2,11%, ITUB4 perde 1,79% e BBAS3 cai 1,32%

update 12h23

Lula: minha preocupação agora é com as pessoas que ganham 2 ou 3 salários mínimos; são trabalhadores que ganham R$ 4 mil, R$ 5 mil e não têm casa para eles

Segundo o presidente, também é preciso fazer agora um programa de reforma de casas.

update 12h17

Lula: vamos lançar na semana que vem programa de crédito habitacional para que as pessoas possam comprar casas um pouco maiores

update 12h15

Piora da inflação nos EUA pode influenciar nas decisões do Copom, diz economista

Para Tatiana Pinheiro, economista chefe da Galapagos, a inflação doméstica não é uma preocupação, mas se o Fed tiver de esperar mais para iniciar corte de juros, pode acontecer uma pressão cambial.

update 12h13

Dólar comercial renova máxima, com +1,35%, a R$ 5,074

update 12h12

Banco Central informa terceira parcial PTAX com compra a R$ 5,0719 e venda a R$ 5,0725

update 12h10

Dólar comercial amplia alta, com +1,28%, a R$ 5,070, na máxima diária

update 12h09

Ibov renova mínima, com -1,05%, aos 128.530,26 pontos

update 12h09

Haddad: temos um ciclo de decisões a serem tomadas; o Judiciário tem nos beneficiado muito

“Temos que fazer todo dia trabalho de não deixar as contas saíram do controle”, afirmou o ministro.

update 12h08

Biden volta a afirmar que Netanyahu está cometendo “um erro” em Gaza

“Acho que ele está cometendo um erro, não concordo com suas decisões”, disse o presidente dos EUA, Joe Biden, em entrevista gravada para a Univision. “Então eu estou clamando por um cessar-fogo por parte dos israelenses”.

update 12h08

Haddad: inflação hoje veio bem abaixo do previso, está controlada no Brasil

update 12h07

Haddad: cenário é desafiador, temos que equacionar as contas públicas, tem votações importantes no Congresso

De acordo com o ministro, ele se reuniu com Lira e Pacheco para que se tenha clareza de que é preciso “completar trabalho, ciclo de ajuste das contas”.

update 12h06

Haddad: reunião da Junta Orçamentária discutiu cenário até 2028 para avaliar espaço para gastos com funcionalismo e gestão

Segundo ele, a junta deve se reunir novamente e a meta fiscal de 2025 não foi discutida.

update 12h00

Dona da Zara pede clareza de certificadora de algodão após acusações contra produtores brasileiros

A Inditex, proprietária da Zara, pediu mais transparência de uma certificadora que examina parte do algodão usado pela gigante espanhola da moda, depois de uma investigação que apontou evidências de má prática por parte de dois produtores brasileiros de algodão certificado. A Inditex enviou uma carta datada de 8 de abril ao presidente-executivo da Better Cotton, Alan McClay, pedindo clareza sobre o processo de certificação e o progresso das práticas de rastreabilidade após a ONG Earthsight informar à varejista que produtores com certificações Better Cotton estavam envolvidos em grilagem de terras, desmatamento ilegal e atos violentos contra comunidades locais, de acordo com uma cópia da carta vista pela Reuters. A Inditex disse que esperou mais de seis meses pelos resultados de uma investigação interna da Better Cotton que foi prometida para o final de março e começou em agosto de 2023, de acordo com a carta. (Reuters)

update 11h52

Grandes bancos mantêm queda de 1%; maiores perdas são de SANB11 (-1,77%) e BBDC4 (-1,29%)

Ações de Itaú (ITUB4) caem 1,01% e de BB (BBAS3) recuam 0,91%.

update 11h48

BB e Santander leiloam imóveis em abril: para quem a modalidade é vantajosa?

Interessado não deve perder de vista uma série de outras despesas que são impostas a quem vence o lance.

update 11h43

Índice BDRX opera na máxima, com +0,77%, aos 16.241,87 pontos

update 11h43

Comércio global se recuperará de forma constante após rara queda em 2023, diz OMC

O comércio global de mercadorias deve se recuperar neste ano, porém de forma mais lenta do que o esperado anteriormente, depois de apenas seu terceiro declínio em 30 anos em 2023, disse a OMC nesta quarta-feira. O órgão sediado em Genebra disse que o abrandamento das pressões inflacionárias deve ajudar o volume do comércio de mercadorias a aumentar 2,6% em 2024 e 3,3% em 2025, após um declínio de 1,2% no ano passado. A OMC havia previsto anteriormente uma alta de 3,3% em 2024. Ao mesmo tempo, a OMC alertou sobre os riscos da fragmentação do comércio devido às tensões geopolíticas, ao aumento do protecionismo e ao agravamento da crise no Oriente Médio, em que os ataques a navios comerciais no Mar Vermelho já têm desviado o comércio entre Europa e Ásia. (Reuters)

update 11h36

Ações de Vale (VALE3) têm queda de 0,78%, a R$ 62,06

update 11h32

Ibov tem nova mínima, com -0,89%, aos 128.735,77 pontos

update 11h32

EUA: estoques de gasolina sobem 715 mil esta semana

A previsão era de uma leitura de menos 1,320 milhões. Há uma semana, os estoques ficaram em menos 4,256 milhões. A produção de gasolina, que subiu 767 mil semana passada, agora cai 538 mil. Os estoques de óleo para aquecimento subiram 478 mil, ante baixa de 613 mil semana passada.

update 11h31

EUA: estoques de petróleo bruto sobem 5,841 milhões esta semana

A expectativa era por uma leitura de alta de 900 mil barris. Há uma semana, subiram 3,210 milhão. Os estoques de petróleo em Cushing caíram 170 mil, ante menos 377 mil há uma semana. As importações de petróleo bruto subiram 1,130 milhão, enquanto subiram 75 mil na semana passada.

update 11h27

Ações de Petrobras renovam máximas; PETR3 sobe 2,64% e PETR4 avança 2,19%

update 11h24

FMI alerta que política industrial não é uma cura mágica para crescimento econômico lento

O FMI afirmou nesta quarta-feira que as recentes iniciativas de política industrial desenvolvidas pelos Estados Unidos, Europa e outros países para orientar a inovação em determinados setores não são uma panaceia para impulsionar o crescimento econômico. O FMI, em um capítulo de seu próximo Monitor Fiscal, disse que a política industrial pode impulsionar a inovação se for bem executada, mas que a história está repleta de advertência sobre erros de política, altos custos fiscais e repercussões negativas em outros países. Focar principalmente em subsídios e isenções de impostos apresenta riscos, devido aos altos custos fiscais, ao risco de captação por interesses especiais e à possível má alocação maciça de recursos, disse Era Dabla-Norris, vice-diretora do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI. (Reuters)

update 11h16

Ibov vai à mínima, com -0,82%, aos 128.819,91 pontos

update 11h16

Ibovespa amplia queda para 0,80%, aos 128.847,07 pontos; somente 10 ativos sobem hoje, com destaque para PETR4 (+1,81%)

update 11h07

PETR4: ameaçado, Prates lista 25 principais ações frente ao comando da Petrobras

Executivo destaca atingimento do maior “lucro da história sem vender refinarias” e “dez recordes de valor de mercado” na Bolsa, ao longo de 2023.

update 11h06

Banco Central informa segunda parcial PTAX com compra a R$ 5,0608 e venda a R$ 5,0614

update 10h55

Ações de Petrobras renovam máximas; PETR3 sobe 1,96% e PETR4 avança 1,73%

update 10h54

Dólar salta 1% após surpresa para cima em dado de inflação dos EUA

O dólar passou a subir acentuadamente frente ao real nesta quarta-feira, depois que dados de inflação mais altos do que o esperado nos EUA elevaram o pessimismo sobre o espaço que o Fed terá para cortar juros este ano. Agora, o dólar sobe 1,09%, R$ a 5,061 na venda, revertendo perdas iniciais. Na B3, os contratos de dólar futuro sobem 0,98%, a 5,067,50 reais. Os preços ao consumidor nos EUA aumentaram mais do que o esperado em março, mostraram dados desta manhã, em meio a aumentos nos custos da gasolina e de moradia, lançando mais dúvidas sobre a possibilidade de o Fed começar a cortar a taxa de juros em junho. O índice de preços ao consumidor aumentou 0,4% no mês passado, depois de avançar pela mesma margem em fevereiro. Nos 12 meses até março, o índice aumentou 3,5%. “Volta esse questionamento: será que vamos ter corte em junho ou (o Fed) vai postergar isso para julho ou para uma próxima reunião? Foi uma virada bem forte do mercado, negativa, depois da divulgação das inflações americanas”, disse Lucca Ramos, sócio da One Investimentos. Já Danilo Igliori, economista-chefe da Nomad, disse que “a leitura de hoje certamente anda na direção contrária da necessidade de confiança extra no processo de convergência para a meta de inflação que vem sendo declarado pelos membros do Fed desde o início do ano”. Thiago Avallone, especialista em câmbio da Manchester Investimentos, disse não acreditar num arrefecimento do dólar nesta sessão, nem que haja sinais positivos na ata do último encontro do Fed, a ser publicada na parte da tarde. (Reuters)

update 10h49

Ibov tem nova mínima, com -0,81%, aos 128.838,36 pontos

update 10h47

Dólar comercial renova máxima, com +1,14%, a R$ 5,063

update 10h46

Fed deve esperar até setembro para cortar juros

O Fed esperará até setembro para começar a cortar a taxa de juros, apostavam os operadores nesta quarta-feira, depois que um relatório do governo dos EUA mostrou que a inflação foi mais forte do que o esperado no mês passado pelo terceiro mês consecutivo. Os juros futuros de curto prazo dos EUA despencaram depois do relatório, que mostrou que o núcleo do índice de preços ao consumidor subiu 0,4% em março em relação ao mês anterior, e que a inflação geral acelerou para 3,5% na base anual, acima dos 3,2% em fevereiro. O Fed tem como meta uma inflação de 2%. Operadores apostam que isso exclui a possibilidade de um primeiro corte nos juros pelo Fed em junho e torna até mesmo um corte em julho menos provável. Com base na precificação dos futuros, o Fed deve realiza um primeiro corte de 0,25 ponto percentual nos juros em sua reunião de 17 e 18 de setembro, levando a taxa para uma faixa de 5% a 5,25%, com apenas mais um corte provável até o final do ano. “Acho que um corte em julho ainda é possível”, disse Oliver Pursche, vice-presidente sênior da Wealthspire Advisors. “Há vários dados importantes que chegarão antes disso, mas eu ficaria surpreso se A) houver um corte em junho e B) se houver mais de dois cortes este ano.” (Reuters)

update 10h45

Canadá: banco central decide manter taxa de juros em 5,00%, como esperado

Esta é a sexta reunião seguida que o Bank Of Canada mantém a taxa de juros estacionada. A taxa subiu de 4,75% para 5,00% em 12 de julho de 2023 e desde então se mantém nesta patamar.

update 10h43

Todas as varejistas operam em quedas; CEAB3 cai 6,19%, GUAR3 perde 4,55% e MGLU3 recua 3,30%

update 10h41

Ações de Petrobras ampliam altas; PETR3 sobe 1,61% e PETR4 avança 1,37%

update 10h38

Inflação do consumidor (CPI) de março nos EUA indica tendência de alta

André Cordeiro, economista-sênior do Inter, avalia que esse resultado de março sugere que os resultados ruins de janeiro e fevereiro não podem ser completamente atribuídos a fatores sazonais. “Sem uma reversão da atual dinâmica, o Fomc terá dificuldade em entregar os 3 cortes projetados, e o atual contexto não contribui, com commodities dando sinais de reaceleração, em particular o preço do petróleo”, acrescenta.

update 10h37

Mundo enfrenta crescimento baixo persistente na ausência de reformas de produtividade, diz FMI

O crescimento econômico global atingirá apenas 2,8% até 2030, um ponto percentual abaixo da média histórica, a menos que sejam feitas grandes reformas para aumentar a produtividade e alavancar tecnologias como a inteligência artificial, disse o FMI nesta quarta-feira. O Fundo Monetário Internacional divulgou um capítulo de seu próximo relatório Perspectivas Econômicas Mundiais que mostrou mais declínios na taxa de crescimento global, que tem desacelerado constantemente desde a crise financeira global de 2008-2009. “Sem medidas ambiciosas para aumentar a produtividade, o crescimento global deverá cair muito abaixo de sua média histórica”, disse o FMI, alertando que as expectativas de crescimento fraco poderiam desencorajar o investimento, possivelmente aprofundando a desaceleração. (Reuters)

update 10h34

Ações de Petrobras ganham força; PETR3 sobe 1,13% e PETR4 avança 1,01%, destoando do restante do Ibovespa

update 10h34

VXBR: índice de volatilidade Bolsa brasileira cai 2,81%, aos 16,28 pontos

update 10h33

IPCA de março: Resultado não muda visão acerca do comportamento da inflação esse ano

A opinião é de Rafael Costa, analista e integrante da equipe de estratégia macro da BGC Liquidez. Ele vê possibilidade de inflação atípica nos preços da alimentação a ser registrada nos próximos meses.

update 10h30

Principais índices em Nova York abrem dia com fortes baixas

Investidores em Wall Street se frustraram com os números de inflação ao consumidor em março, que vieram levemente acima do esperado. Isso puxou as ações de tecnologia para baixo, incluindo as queridinhas Nvidia e Meta, que também passam por correções, por valorizações fortes recentes. “A desinflação acabou e a inflação está no relatório de hoje”, disse à CNBC Karen Manna, gerente de portfólio da Federated Hermes. “As previsões de flexibilização do Fed este ano serão reavaliadas ainda mais abaixo”. Há quem seja mais direta: “este relatório de inflação dá um choque ao mercado. Mas não creio que a liquidação induzida pelo relatório altere a tendência primária subjacente”, afirmou também à CNBC Keith Lerner, codiretor de investimentos da Truist.

  • Dow Jones: -0,96%
  • S&P 500: -1,08%
  • Nasdaq: -1,26%
update 10h26

Dólar comercial renova máxima, com +1,08%, a R$ 5,060

update 10h26

Ibovespa perde os 129 mil pontos; agora recua 0,69%, aos 128.994,10 pontos

update 10h25

Pós-IPCA de março: Banco prevê taxa Selic no final do ano a 9%, com cortes menores, de 0,25 pp a partir de junho

Daniel Xavier, economista-chefe do Banco ABC, ressalta que o IPCA de março veio que o resultado aquém do cenário-base do próprio Banco Central.

update 10h19

Ações da 3R Petroleum (RRRP3) sobem 0,65% e estão entre as mais negociadas nesta manhã

A petrolífera 3R produziu 51.540 barris de óleo equivalente por dia no primeiro trimestre, uma queda de 5,4% sobre o desempenho do trimestre anterior, mas com forte avanço na comparação com os 26.455 boed dos três primeiros meses de 2023. Em março apenas, a produção da empresa somou 50.426 boed, crescimento de 5,3% ante fevereiro. (Reuters)

update 10h18

Ibov cai e ameaça perder os 129 mil pontos com peso do CPI dos EUA

O Ibovespa começa o dia em queda de 0,67%, aos 129.020,11 pontos, repercutindo a divulgação dos dados de inflação nos EUA. O CPI de março subiu 0,4%, acima da expectativa de 0,3% e no mesmo valor de fevereiro, repercutindo nos mercados de todo o mundo. O dado tira o brilho do IPCA, o indicador de inflação oficial do Brasil, que desacelerou para 0,16% em março, após subir 0,83% em fevereiro. Em 12 meses, o IPCA acumula alta de 3,93%, primeira vez abaixo dos 4% em 8 meses. Recuam na bolsa as ações de grandes bancos, Vale (VALE3), companhias aéreas, construtoras, frigoríficas, siderúrgicas e varejistas. Por outro lado, sobem as ações de Petrobras (PETR4) e operam mistas as petroleiras juniores. Com os dados dos EUA, as curvas de juros no Brasil e nos EUA aceleraram as altas, assim como o dólar ganhou força por aqui, agora subindo 0,9%, a R$ 5,04. A expectativa do corte de juros dos EUA foi empurrada novamente para frente. Antes do CPI, 50% previa que o início das reduções dos juros seria em junho, mas agora essa percepção caiu para 26%. Também chamava a atenção hoje o rebaixamento da perspectiva da China pela Fitch para negativa, embora tenha mantido a classificação A+, prevendo desaceleração do crescimento econômico. Ainda no radar dos investidores, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, participa de evento militar pela manhã e à tarde do programa Estúdio i, da Globonews. Em Wall Street, índices futuros dos EUA, que operavam em alta no início da manhã, viraram para fortes quedas após o CPI: Dow Jones Futuro, -1,20%; S&P500, -1,45%; e Nasdaq Futuro, -1,51%. (Felipe Alves)

update 10h17

Telecom começa sessão com ganhos: OIBR3, +1,56%; TIMS3, +0,61%; VIVT3, +0,44%

update 10h16

IPCA de março: Destaque negativo foi a inflação de serviços, que voltou a subir, e isso pode voltar a pressionar a inflação

Para Andre Fernandes, head de renda variável e sócio da A7 Capital, o Banco Central vem “batendo nessa tecla”, e o item pode impactar no ritmo de cortes da Selic ao longo do ano.

update 10h15

Eletrobras (ELET3 ELET6) começa sessão com perdas: 0,36% e 0,24%, respecitvamente

update 10h15

Siderúrgicas abrem dia em baixa: CSNA3, -2,52%; GGBR4, -0,70%; GOAU4, -0,84%; USIM5, -1,60%

update 10h14

Varejistas começam sessão com fortes baixas: AMER3, -1,72%; ARZZ3, -3,36%; BHIA3, -3,12%; LREN3, -2,26%; MGLU3, -2,75%; SOMA3, -3,12%

update 10h12

Supermercadistas abrem dia com quedas: ASAI3, -0,89%; CRFB3, -2,30%; GMAT3, -1,46%; PCAR3, -3,36%

update 10h12

Hapvida (HAPV3) recua 1,23% nesta abertura, a R$ 4,02

update 10h11

IPCA de março abaixo do esperado: Perspectiva de dois cortes consecutivos de 0,50 pp nas próximas reuniões do Copom ganha mais respaldo

Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos, ressalta que a taxa atualmente praticada pelo BC ainda se encontra em um nível extremamente elevado, portanto, a expectativa de redução para 9,75% da Selic nas próximas duas reuniões não pode ser considerada como uma medida excessiva, mas sim como um ajuste necessário.

update 10h10

Frigoríficos começam dia com quedas: BEEF3, -0,61%; BRFS3, -1,16%; JBSS3, -0,40%; MRFG3, -0,93%

update 10h10

Ibovespa sai dos leilões com queda de 0,50%, aos 129.247,18 pontos, mínima do dia

update 10h09

Petro juniores mistas nesta abertura: ENAT3 e RRRP3 sobem 2,53% e 1,83%, enquanto PRIO3 e RECV3 caem 0,26% e 0,37%

update 10h07

Banco Central informa primeira parcial PTAX com compra a R$ 5,0530 e venda a R$ 5,0536

update 10h06

Aéreas começam sessão com quedas: AZUL4 desce 1,17% e GOLL4 recua 1,28%; EMBR3 tem menos 0,43%

update 10h06

Grandes bancos recuam em bloco nesta abertura: BBAS3, -0,60%; BBDC4, -0,68%; ITUB4, -0,57%; SANB11, -0,60%

update 10h05

B3 (B3SA3) abre sessão com queda de 0,97%, a R$ 12,27

update 10h04

Ações da Petrobras (PETR3 PETR4) começam sessão com ganhos curtos de 0,13% e 0,08%, respectivamente

update 10h04

Vale (VALE3) abre dia com queda de 0,78%, a R$ 62,06

update 10h02

Ibovespa abre, preliminarmente, com queda de 0,01%, aos 129.871,64 pontos

update 9h58

IPCA perde força em março e taxa em 12 meses vai abaixo de 4% pela 1ª vez em 8 meses

A inflação no Brasil desacelerou com força em março e atingiu o nível mais fraco em oito meses, com a taxa em 12 meses indo abaixo de 4% pela primeira vez desde julho do ano passado. O IPCA subiu 0,16% em março, depois de uma alta de 0,83% em fevereiro, ficando abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,25% no mês e marcando o resultado mensal mais fraco desde julho de 2023. Os dados divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE mostram ainda que o IPCA passou a acumular alta de 3,93% nos 12 meses até março, de 4,50% em fevereiro e expectativa de 4,01%. Essa é a primeira vez que o índice acumulado vai abaixo de 4% também desde julho do ano passado, o que pode dar algum alívio ao Banco Central em meio a seu ciclo de afrouxamento monetário. O centro da meta para a inflação, medida pelo IPCA, este ano é de 3,0%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. A desaceleração no dado mensal deveu-se à dissipação do impacto sazonal dos custos de Educação, cuja alta desacelerou a 0,14% em março, de 4,98% em fevereiro. (Reuters)

update 9h54

ADRs de Petrobras: PBRA sobe 0,19%, a US$ 15,49, e PBR cai 0,09%, a US$ 15,87 no pré-mercado

update 9h53

Ibovespa futuro reduz queda para 0,20%, aos 130.030 pontos

update 9h52

DXY: índice dólar avança 0,60%, aos 104,77 pontos, após CPI; antes da divulgação da inflação, recuava 0,08%, aos 104,07 pontos

update 9h49

ADRs da Vale caem 0,88%, a US$ 12,39, no pré-mercado

update 9h49

XP: Oportunidades de swing trade para hoje, por Gilberto Coelho

C ou V Ativo Gatilho Alvo Loss Motivo Alvo (%) Loss (%) Lim Entrada
Compra WEGE3 38,51 43,99 36,44 MM21 14,23 -5,38 38,90
Compra NEOE3 21,01 23,49 19,99 MM21 11,80 -4,85 21,22
Compra VIVT3 51,70 59,99 49,57 MM21 16,03 -4,12 52,22

 

update 9h48

DIs: juros futuros viram para alta, seguindo os Treasuries nos EUA, após CPI mostrar inflação mais quente do que o esperado

Dia (%) Taxa (%) Variação (pp) Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
DI1F25 0,05 9,940 0,005 -0,65 0,20 -0,90
DI1F26 0,35 9,990 0,035 -0,75 0,91 3,95
DI1F27 0,63 10,330 0,065 -0,53 1,67 6,28
DI1F28 0,76 10,675 0,080 -0,28 2,06 7,45
DI1F29 0,74 10,905 0,080 -0,27 2,20 8,29
DI1F31 0,63 11,180 0,070 -0,27 2,38 8,97
DI1F32 0,72 11,250 0,080 -0,18 2,46 9,33
DI1F33 0,62 11,280 0,070 -0,35 2,17 8,78
DI1F35 0,62 11,320 0,070 -0,44 2,17 9,06
update 9h47

CME/FedWatch: após CPI, mercado reduz de 50% para 27% chance de queda de juros em junho; para julho expectativa de queda é de 39%

5,25%-5,50% 5,00%-5,25% 4,75%-5,00% 4,50%-4,75% 4,50%-4,25% 4,25%-4% 4%-3,75%
1º/05 100%
12/06 72,4% 27,6%
31/07 52,9% 39,7% 7,4%
18/09 24% 46,6% 25,2% 4,2%
7/11 16,8% 39,7% 31,5% 10,6% 1,4%
update 9h45

Futuros dos principais índices em Nova York viram para fortes quedas após CPI nos EUA vir acima do esperado

  • Dow Jones Futuro: -0,85% (antes CPI: +0,19%)
  • S&P 500 Futuro: -1,01% (antes CPI: +0,16%)
  • Nasdaq Futuro: -1,26% (antes CPI: +0,13%)
update 9h42

Dólar comercial amplia ganhos, com +0,68%, a R$ 5,040

update 9h42

Treasuries nos EUA viram para forte alta por toda a curva, após CPI de março mais alto do que o esperado

  • Título de 2 anos: +0,165 pp, a 4,912% (antes do CPI: -0,021 pp, a 4,726%)
  • Título de 10 anos: +0,127 pp, a 4,493% (antes do CPI: -0,016 pp, a 4,350%)
update 9h42

Moura Dubeux (MDNE3) relatou números alinhados, mas ainda saudáveis para o 1T24

update 9h40

Após CPI, Índice EWZ vira para queda de 1,21% na pré-abertura dos EUA

update 9h40

VIX: índice de volatilidade nos EUA acelera alta para 8,28%, aos 16,18 pontos, após CPI; antes da divulgação, subia 0,27%, aos 12,02 pontos

update 9h38

Mini-índice com vencimento em abril (WINJ24) vira para baixa de 0,52%, aos 129.605 pontos, após CPI dos EUA

update 9h37

Minidólar com vencimento em maio (WDOK24) vira para alta de 0,56%, cotado a 5.044,50, após CPI nos EUA acima da expectativa

update 9h37

Ibovespa futuro amplia queda, com -0,48%, aos 129.665 pontos

update 9h33

EUA: rendimento real em março sobe 0,3%, acima da estabilidade apurada em fevereiro

update 9h33

Após CPI, dólar comercial vira e ganha tração, com +0,44%, a R$ 5,029

update 9h32

EUA: núcleo do CPI em março sobe 0,4%, acima da expectativa de 0,3% e mesmo valor marcado em fevereiro

Nos doze meses encerrados em março, o núcleo do CPI ficou com mais 3,8%, acima da expectativa de alta de 3,7% e mesmo valor de fevereiro.

update 9h32

Dólar futuro vira para alta e passa a subir 0,52%, aos 5.044,50 pontos, máxima diária

update 9h31

Após CPI, Ibovespa futuro vira para queda de 0,06%, aos 130.210 pontos; antes, o Ibov futuro subia 0,6%

update 9h30

EUA: índice de preços ao consumidor (CPI) em março sobe 0,4%, acima da expectativa de 0,3% e mesmo valor de fevereiro

Nos doze meses encerrados em março, o CPI cravou mais 3,5%, acima da expectativa de alta de 3,4% e dos 3,2% de fevereiro.

update 9h29

Light (LIGT3) diz que Justiça prorrogou stay period da recuperação judicial por 90 dias a partir de 9 de abril ou até votação do plano de recuperação judicial

update 9h28

Antes do CPI, Ibovespa futuro avança 0,54%, aos 130.995 pontos

update 9h28

Futuros dos principais índices em Nova York operam com leves ganhos antes do CPI

  • Dow Jones Futuro: +0,19%
  • S&P 500 Futuro: +0,16%
  • Nasdaq Futuro: +0,13%
update 9h27

Treasuries nos EUA recuam ao longo da curva, com investidores aguardando CPI de março

A inflação ao consumidor será divulgada em instantes, às 9h30, Horário de Brasília. Confira os títulos mais observados:

  • Título de 2 anos: -0,021 pp, a 4,726%
  • Título de 10 anos: -0,016 pp, a 4,350%
update 9h25

VIX: índice de volatilidade nos EUA sobe 0,27%, aos 12,02 pontos, antes do CPI

update 9h22

Índice EWZ sobe 0,73% na pré-abertura dos EUA

update 9h18

DIs: juros futuros começam dia com quedas por toda a curva

Dia (%) Taxa (%) Variação (pp) Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
DI1F25 -0,45 9,890 -0,045 -1,15 -0,30 -1,40
DI1F26 -0,75 9,880 -0,075 -1,84 -0,20 2,81
DI1F27 -0,63 10,200 -0,065 -1,78 0,39 4,94
DI1F28 -0,52 10,540 -0,055 -1,54 0,76 6,09
DI1F29 -0,46 10,775 -0,050 -1,46 0,98 7,00
DI1F31 -0,54 11,050 -0,060 -1,43 1,19 7,70
DI1F32 -0,45 11,120 -0,050 -1,33 1,28 8,07
DI1F33 -0,45 11,160 -0,050 -1,41 1,09 7,62
DI1F35 -0,36 11,210 -0,040 -1,41 1,17 8,00
update 9h16

Câmara aprova retorno de seguro obrigatório de veículos

A Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira novas regras para o retorno do seguro obrigatório para proprietários de veículos, que pela proposta passará a se chamar SPVAT, mantendo a Caixa Econômica Federal como única gestora do fundo de pagamento de indenizações, informou a Agência Câmara. A forma anterior da obrigação era chamada de DPVAT, que vinha sendo operada pela Caixa Econômica Federal de forma emergencial desde 2021, depois que o governo de Jair Bolsonaro resolveu extinguir em 2020 o instrumento que ressarce vítimas de colisões de veículos terrestres. Antes da extinção do DPVAT, o seguro era administrado por um consórcio de seguradoras privadas. (Reuters)

update 9h14

DXY: índice dólar recua 0,08%, aos 104,07 pontos, antes da divulgação do CPI de março nos EUA

O índice de preços ao consumidor de março será divulgado às 9h30, Horário de Brasília.

update 9h13

Índice Dólar DXY cai 0,06%, aos 104,08 pontos

update 9h11

Ibovespa futuro amplia alta e vai à máxima, com +0,65%, aos 131.135 pontos

update 9h08

Preços dos combustíveis no Brasil diminuem levemente a defasagem em relação à paridade internacional, diz Abicom

Petrobras (PETR3;PETR4) anunciou há 173 dias alterações nos preços da gasolina. Sobre o diesel, a estatal determinou um reajuste há 106 dias. A Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis publica o estudo diariamente, de segunda a sexta.

  • Diesel A S10 (média nacional): -10%, ou -R$ 0,38 (ontem: -12% ou -R$ 0,48)
  • Gasolina A (média nacional): -18%, ou -R$ 0,59 (ontem: -18% ou -R$ 0,60)
update 9h07

Assaí (ASAI3): Banco tem a rede de atacarejo como melhor escolha no varejo

O Bradesco BBI aponta ainda o Carrefour Brasil (CRFB3) e a Natura (NTCO3) como players de valor no segmento de varejo.

update 9h04

Dólar comercial abre em queda de 0,08%, cotado a R$ 5,003 na compra e na venda

update 9h03

Ibovespa futuro amplia alta, com +0,54%, aos 130.990 pontos

update 9h01

Dólar futuro abre em queda de 0,18%, cotado aos 5.009,50 pontos

update 9h01

Mini-índice com vencimento em abril (WINJ24) começa dia com alta de 0,43%, aos 130.800 pontos

update 9h01

Em março, Índice Nacional da Construção Civil é de 0,07%

O Índice Nacional da Construção Civil (SINAPI) foi de 0,07% em março, caindo 0,08 ponto percentual em relação ao índice de fevereiro (0,15%). O acumulado nos últimos 12 meses foi para 2,36%, resultado abaixo dos 2,50% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. O índice de março de 2023 foi de 0,20%.

update 9h01

Minidólar com vencimento em maio (WDOK24) começa dia com baixa de 0,17%, cotado a 5.008,50

update 9h01

IPCA sobe 0,16% em março, aponta IBGE; consenso previa +0,25%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,16 por cento em março, após alta de 0,83 por cento no mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. No acumulado de 12 meses até março, o IPCA teve alta de 3,93 por cento, contra alta 4,50 por cento do mês anterior. Pesquisa da Reuters apontou que a expectativa de analistas era de alta de 0,25 por cento em março, acumulando em 12 meses alta de 4,01 por cento.

update 9h00

Ibovespa futuro abre em alta de 0,21%, cotado aos 130.560 pontos

update 8h55

Vendas do varejo em março caem 1,1% sobre um ano antes, diz Cielo (CIEL3)

As vendas no varejo em março tiveram queda de 1,1% sobre um ano antes, descontada a inflação, informou a empresa de meios de pagamentos Cielo, nesta quarta-feira. A companhia, que apura o indicador mensal de vendas no varejo ICVA com base no movimento de comerciantes credenciados na sua plataforma, afirmou que o “resultado só não foi mais negativo porque comércios mais impactados pela Páscoa…registraram crescimento nas vendas”. Apenas a região Sul teve resultado positivo em março pelo critério deflacionado, mostrando crescimento de 0,3% nas vendas. A maior queda ocorreu no Centro-Oeste(-1,8%), seguida por Norte (-1,6%), Sudeste (-1,4%) e Nordeste (-1%), segundo comunicação da Cielo. (Reuters)

update 8h55

Arena Trader XP: Day Trade ao vivo com Pam Semezzato, Leandro Ross e Caio Scotte

update 8h47

CME/FedWatch: antes do CPI, mercado vê 50% de chance de redução de juros em junho

5,25%-5,50% 5,00%-5,25% 4,75%-5,00% 4,50%-4,75% 4,50%-4,25% 4,25%-4% 4%-3,75%
1º/05 93,9% 6,1%
12/06 46% 50,9% 3,2%
31/07 27,4% 48,9% 22,4% 1,3%
18/09 9,1% 34,5% 40,1% 15,4% 0,9%
7/11 5,6% 24,8% 38% 24,9% 6,4% 0,3%
18/12 2,1% 13% 29,9% 33% 17,8% 4,1% 0,2%
update 8h45

Confira o InfoMorning

update 8h36

Investidor estrangeiro ingressa com R$ 871,9 milhões na B3 em 08/04

No mês, o saldo é negativo em R$ 1,41 bilhões. Assim, no ano, o saldo líquido acumulado no mercado secundário está negativo em R$ 24,31 bilhões.

update 8h28

Governo publica MP para estender subsídios a renováveis e quitar empréstimos do setor elétrico

O governo federal editou nesta quarta-feira a medida provisória que visa reduzir tarifas de energia elétrica aos consumidores ao mesmo tempo em que estende subsídios a projetos de geração renovável. Para aliviar tarifas, a medida provisória prevê utilização de recebíveis garantidos no processo de privatização da Eletrobras ELET3.SA, em recursos bilionários direcionados ao programa de redução de custos de geração na Amazônia Legal e à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Esses recebíveis serão antecipados, em operação que deverá ser conduzida pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), para quitar dois empréstimos que pesam atualmente sobre a conta de luz, a Conta Covid e a Conta Escassez Hídrica. O texto prevê ainda que os empreendimentos de fontes renováveis terão mais 36 meses para entrar em operação e garantir subsídios nas tarifas de uso dos sistemas de transmissão e distribuição. (Reuters)

update 8h26

Moura Dubeux (MDNE3) reporta crescimento nas vendas no 1º tri

As vendas líquidas da Moura Dubeux atingiram R$ 372 milhões no 1T24 , alta de 14% em relação ao 1T23 e uma redução de 6,3% em relação ao 4T23.

update 8h25

Produção da 3R (RRRP3) no 1º tri cai 5,4% sobre trimestre anterior

A petrolífera 3R produziu 51.540 barris de óleo equivalente por dia no primeiro trimestre, uma queda de 5,4% sobre o desempenho do trimestre anterior, mas com forte avanço na comparação com os 26.455 boed dos três primeiros meses de 2023. Em março apenas, a produção da empresa somou 50.426 boed, crescimento de 5,3% ante fevereiro. A companhia informou nesta quarta-feira que o principal complexo operacional, o Potiguar, teve queda de produção de 8% em março sobre fevereiro, afetado por “intermitências no abastecimento elétrico dos ativos onshore, em razão de problemas operacionais da distribuidora local e por efeitos das fortes chuvas registradas na região durante o mês de março”. (Reuters)

update 8h24

CCR (CCRO3) tem alta no tráfego

A CCR (CCRO3) registrou aumento de 2,5% no tráfego de veículos nas rodovias que administra durante o mês de março, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

update 8h22

Presidente do BC do Japão descarta reagir a enfraquecimento do iene com aumento dos juro

O presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, disse que o banco central não responderá diretamente a movimentos da moeda ao definir a política monetária, afastando as especulações do mercado de que as fortes quedas do iene poderiam forçá-lo a aumentar a taxa de juros. No entanto, Ueda manteve seu otimismo em relação às perspectivas salariais e sinalizou a possibilidade de outro aumento dos juros se a tendência da inflação, que ainda está abaixo de 2%, aproximar-se desse nível conforme projetado. “De forma alguma mudaremos a política monetária diretamente em resposta aos movimentos da taxa de câmbio”, disse Ueda ao Parlamento, quando perguntado por um parlamentar da oposição se os movimentos do iene teriam algum impacto na decisão do Banco do Japão sobre o momento do próximo aumento de juros. (Reuters)

update 8h21

Câmara aprova urgência para PLs da limitação do Perse e da reoneração dos municípios

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de terça-feira (9), o regime de urgência para dois projetos de lei que tratam do redesenho do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) e da reoneração da folha salarial das prefeituras.

update 8h19

Enauta (ENAT3) e 3R (RRRP3) fazem acordo para avançar com fusão

As petrolíferas Enauta e 3R Petroleum sinaram um memorando de entendimento para levar adiante uma proposta de fusão revelada no início deste mês, anunciaram as companhias nesta quarta-feira. (Reuters)

update 8h12

Ministro diz que demissão de presidente da Petrobras é especulação

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, classificou os rumores de uma possível demissão do presidente da Petrobrás, Jean Paul Prates, como especulações. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa, na última terça-feira (9), após assinatura da medida provisória que prevê redução de 3,5% a 5% na conta de luz.

update 8h10

Fitch rebaixa perspectiva de classificação da China para negativa

Segundo a empresa de classificação de ratings, a mudança reflete os riscos crescentes para as perspectivas das finanças públicas chinesas, à medida que o país enfrenta incertezas na transição do crescimento.

update 8h06

Barris de petróleo sobem e minério de ferro avança 1,4%

As cotações do petróleo operam com leve alta, revertendo parte das perdas das últimas duas sessões, uma vez que as preocupações com uma oferta mais restrita devido à incerteza sobre as negociações de cessar-fogo em Gaza foram compensadas por um aumento maior do que o esperado nos estoques de petróleo bruto dos EUA. As cotações do minério de ferro na China fecharam em alta pela terceira sessão consecutiva, impulsionados pelas expectativas de que a atividade de construção esteja se recuperando na China.

  • Petróleo WTI, +0,41%, a US$ 85,58 o barril
  • Petróleo Brent, +0,39%, a US$ 89,77 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 1,43%, a 813,50 iuanes, o equivalente a US$ 112,48
update 8h04

Bolsas da Europa avançam antes de dados de inflação dos EUA

Os mercados europeus operam em alta, enquanto os mercados globais aguardam a divulgação dos dados de inflação dos Estados Unidos de março.

  • FTSE 100 (Reino Unido): +0,60%
  • DAX (Alemanha): +0,72%
  • CAC 40 (França): +0,41%
  • FTSE MIB (Itália): +0,69%
  • STOXX 600: +0,54%
update 8h04

EUA: mercados operam estáveis em ritmo de espera por dados de inflação e ata do Fomc

Além do CPI, os investidores estão ansiosos pelas ata da reunião do Fed no mês passado. A minuta deve trazer mais clareza sobre a posição dos legisladores em relação aos cortes esperados nas taxas este ano. A temporada de resultados do primeiro trimestre nos EUA também está prestes a começar. A Linhas Aéreas Delta está programada para divulgar os resultados nesta quarta-feira, antes da abertura dos mercados.

  • Dow Jones Futuro: +0,11%
  • S&P 500 Futuro: +0,07%
  • Nasdaq Futuro: +0,05%
update 8h03

Bolsas da Ásia fecham dia em baixa à espera de dados de inflação dos EUA

Os mercados asiáticos fecharam majoritariamente em baixa, após a Fitch rebaixar a perspectiva do rating soberano chinês e com investidores demonstrando cautela antes da publicação de novos dados da inflação dos EUA. A Agência de classificação de risco rebaixou sua perspectiva para a nota de crédito soberana A+ da China, de estável para negativa, em função dos “crescentes riscos” às finanças do gigante asiático. Em resposta, o Ministério de Finanças chinês disse que a dívida do país é “administrável” e está “sob controle”. À noite, está prevista atualização da inflação mensal da China, tanto ao consumidor (CPI) quanto ao produtor (PPI).

  • Shanghai SE (China), -0,70%
  • Nikkei (Japão): -0,48%
  • Hang Seng Index (Hong Kong): +1,85%
  • Kospi (Coreia do Sul): -0,46%
  • ASX 200 (Austrália): +0,31%
update 8h00

Abertura de mercados

Os índices futuros dos EUA e das bolsas da Europa operam em alta nesta quarta-feira (10), antes da divulgação do Índice de Preço ao consumidor (CPI) de março. Agentes do mercado ficarão atentos aos dados enquanto procuram pistas sobre quando o Fed começará a cortar os juros. Dados da ferramenta CME FedWatch, sugerem uma probabilidade de 42% de que o banco central mantenha as taxas estáveis ​​em junho. Uma leitura do CPI mais forte do que o esperado pode acabar desencadeando um catalisador para a correção, enquanto um índice mais fraco poderia levar os rendimentos do Tesouro a recuar e a alta do mercado de ações. Por aqui, as atenções também estão voltadas para dados de inflação ao consumidor, medida pelo IPCA de março, com consenso LSEG prevendo alta mensal de 0,25% e de 4,01% na base anual. Na véspera, Câmara aprovou, o regime de urgência para dois projetos de lei que tratam do redesenho do Perse e da reoneração da folha salarial das prefeituras. Já o presidente do BC, Roberto Campos Neto, participa de evento militar pela manhã e à tarde do programa Estúdio i, da Globonews.

update 7h54

Principais índices em Nova York encerraram ontem de forma mista

Investidores em Nova York operam no modo espera, de olho nos índices de inflação ao consumidor (CPI) e ao produtor (PPI) nos EUA, que saem na quarta (10) e quinta (11), respectivamente. “O mercado tem patinado durante a última semana, preocupado com o Fed e o seu compromisso de reduzir as taxas de juros”, disse à CNBC Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research. “Uma leitura do CPI mais forte do que o esperado, tanto na manchete quanto no núcleo, pode acabar desencadeando um catalisador para a correção”. Jamie Cox, sócio-gerente do Harris Financial Group, observou que a liquidação de terça-feira também pode ser uma reação sazonal uma semana antes do Dia do Imposto (Tax Day, dia 15 de abril). “Há muita gente vendendo ativos para pagar impostos. Isso acontece todos os anos. Portanto, há uma espécie de confluência desses múltiplos fatores”, disse Cox.

Dia (%) Pontos
Dow Jones -0,02 38.883,67
S&P 500 0,14 5.209,91
Nasdaq 0,32 16.306,64
update 7h52

DIs: juros futuros encerraram sessão de ontem com quedas por toda a curva

Dia (%) Taxa (%) Variação (pp) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
DI1F25 -0,35 9,935 -0,035 16.165 -0,70 0,15 -0,95
DI1F26 -1,14 9,955 -0,115 34.229 -1,09 0,56 3,59
DI1F27 -1,30 10,265 -0,135 21.764 -1,16 1,03 5,61
DI1F28 -1,21 10,595 -0,130 5.796 -1,03 1,29 6,64
DI1F29 -1,05 10,825 -0,115 14.405 -1,01 1,45 7,50
DI1F31 -0,80 11,110 -0,090 5.328 -0,89 1,74 8,28
DI1F33 -0,80 11,210 -0,090 2.291 -0,97 1,54 8,10
DI1F35 -0,97 11,250 -0,110 976 -1,06 1,53 8,38
update 7h50

Dólar comercial terminou ontem com queda de 0,47%

O dólar emendou segunda queda consistente seguida diante do real, em movimento semelhante ao da divisa norte-americana na comparação com as principais moedas do mundo, com o DXY em leve baixa de 0,02%.

  • Venda: R$ 5,007
  • Compra: R$ 5,007
  • Mínima: R$ 5,001
  • Máxima: R$ 5,026
update 7h48

Maiores baixas, altas e mais negociadas de ontem

Maiores baixas

Ativo Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
CVC CVCB3 -2,62 2,60 -0,07 18.131 -4,76 -10,34 -25,71
CSN CSNA3 -1,56 15,10 -0,24 12.727 1,00 -3,82 -23,19
Carrefour CRFB3 -1,39 13,48 -0,19 12.192 0,60 -1,10 8,27
MRV MRVE3 -1,33 7,40 -0,10 18.111 0,82 -5,01 -34,11
Totvs TOTS3 -1,20 28,08 -0,34 13.383 -0,64 -1,06 -16,65
Vale VALE3 -0,67 62,55 -0,42 64.036 4,76 2,83 -15,35
Gerdau GGBR4 -0,65 23,00 -0,15 19.318 1,14 3,60 -2,77

Maiores altas

Ativo Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Negócios Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Vamos VAMO3 5,47 8,67 0,45 12.528 8,38 3,83 -13,90
JBS JBSS3 3,99 22,41 0,86 22.858 5,46 4,23 -10,04
Assaí ASAI3 3,82 14,66 0,54 23.411 6,77 -0,34 8,35
Azul AZUL4 3,08 13,71 0,41 9.396 5,79 5,14 -14,37
Petrorecôncavo RECV3 2,98 21,80 0,63 8.834 3,56 -7,43 0,37
Lwsa LWSA3 2,82 5,47 0,15 10.681 3,80 -6,34 -8,99
BRF BRFS3 2,80 17,26 0,47 16.728 6,74 5,76 24,98

Mais negociadas

Ativo Negócios Dia (%) Valor (R$) Variação (R$) Semana (%) Abril (%) 2024 (%)
Vale VALE3 64.036 -0,67 62,55 -0,42 4,76 2,83 -15,35
Petrobras PN PETR4 49.416 0,26 38,73 0,10 1,65 3,67 4,00
Magazine Luiza MGLU3 32.477 2,25 1,82 0,04 6,43 1,11 -15,21
B3 B3SA3 32.217 2,14 12,39 0,26 3,25 3,34 -13,53
Cosan CSAN3 28.130 0,95 15,95 0,15 4,45 -1,54 -17,61
Hapvida HAPV3 26.932 1,50 4,07 0,06 2,52 10,00 -8,54
Bradesco PN BBDC4 26.744 0,62 14,71 0,09 1,31 3,27 -13,55
update 7h45

Ibovespa fechou ontem com alta de 0,80%, aos 129.890,37 pontos

  • Máxima: 129.956,18
  • Mínima: 128.826,38
  • Diferença para a abertura: +1.033,21 pontos
  • Volume: R$ 20,20 bilhões

Confira a evolução do IBOV durante a semana, mês e ano:

  • Segunda-feira (8): +1,63%
  • Terça-feira (9): +0,80%
  • Semana: +2,44%
  • Abril: +1,39%
  • 2T24: +1,39%
  • 2024: -3,20%

Acompanhe diariamente a cobertura sobre bolsa, dólar e juros a partir das 8 horas.

Sugestões, dúvidas e críticas entre em contato com o editor de Mercados Ao Vivo do InfoMoney: [email protected].

IM Trader: notícias, análises, vídeos, podcasts e guias no novo canal do InfoMoney sobre Mercados.

Infomoney

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo