Esporte

Incerteza sobre contrato com Brax ameaça clubes e cria nova crise com CBF

Apresentado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 2023 como uma importante vitória de sua área comercial, o contrato da entidade com a empresa Brax pelos direitos de transmissão da Série B do Campeonato Brasileiro por um período de quatro anos, de 2023 a 2026, corre o risco de ser rompido ainda em 2024.

A empresa de marketing esportivo, responsável por financiar a transmissão dos jogos em TV aberta pela Band, avisou a CBF que não deverá honrar o acordo, sob a alegação de que o torneio é comercialmente deficitário. O contrato prevê para o primeiro ano o pagamento de R$ 210 milhões, para serem divididos de forma igualitária pelos clubes. O valor é reajustado todos os anos. Para 2024, a cifra é de R$ 231 milhões.

Em 2023, a Brax já teria deixado de fazer o pagamento para alguns dos 20 clubes da Segunda Divisão. De acordo com informações do colunista Flávio Ricco, confirmadas pela Folha, a própria CBF teve de tirar de seu caixa para não prejudicar as equipes. O mesmo poderá acontecer nesta temporada.

Procurada, a entidade máxima do futebol brasileiro disse que não teria nada para comentar sobre o tema. A Brax também não se manifestou.

Pessoas envolvidas nas negociações, no entanto, confirmaram à reportagem a existência do problema. O impasse poderá deixar a competição sem transmissões em TV aberta neste ano, em que a Série B terá o Santos como seu principal atrativo.

Rebaixado pela primeira vez em sua história na temporada passada, o time da Vila Belmiro ainda não tem definido a venda de seus direitos de TV para este ano. O clube tem duas opções: acionar uma cláusula do pay-per-view, mantendo seu contrato atual com o Grupo Globo, pelo qual receberia 3,1% do montante que é destinado aos clubes que fazem parte desse contrato coletivo; ou negociar diretamente com a Brax.

Nas duas hipóteses, o Santos estima que poderia arrecadar valores semelhantes, entre R$ 11 milhões e R$ 12 milhões.

O modelo comercial adotado pela Brax, no entanto, é diferente do praticado pelo Grupo Globo, que compra os direitos e transmite a competição. No caso da empresa de marketing esportivo, após firmar o contrato, ela busca um parceiro comercial para a transmissão, com o qual divide as receitas, como patrocínios e os naming rights do campeonato.

Em 2023, a Segunda Divisão foi exibida pela Band, na TV aberta, e pelo Sportv, na TV fechada. Ainda não há uma definição para as transmissões deste ano. Caso não possa contar com o Santos em seu pacote, a Brax corre o risco de arrastar ainda mais essa definição. Por isso a tentativa de romper o acordo.

Procurada pela reportagem, a Band afirmou que não comenta sobre o assunto.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo