Economia

Investidor de Referência Sabesp

O governo justificou a escolha da Equatorial dizendo que ela atendeu às demandas propostas pelo estado. São elas o preço mínimo definido pelo estado e ainda não divulgado e a cobertura de saneamento que, contudo, ainda não foi definido pelo governo de Tarcísio.

Proposta do governo buscava selecionar dois investidores para a disputa. O prospecto para a privatização da Sabesp indicava que as empresas finalistas seriam determinadas pelo maior volume de transação e o preço ponderado mais elevado entre os participantes. Com a ausência de outros nomes, a Equatorial segue sozinha no processo.

O Governo de São Paulo perderá 32% de sua participação na empresa. Após a finalização da privatização, a parcela do Executivo estadual na Sabesp cairá dos atuais 50,3% para 18,3%. A definição considera a parcela de 15% ao investidor de referência e de 17% para consumidores e empresas interessados em obter ações da empresa. Os demais 49,7% seguirão negociados na Bolsa de Valores.

Processo de privatização da Sabesp só será concluído no dia 22 de julho. Mesmo com a presença isolada da Equatorial para o posto de investidor de referência, as etapas do processo seguem inalteradas. Em 15 de julho, será informado se a empresa será a investidora de referência. A precificação da oferta será feita em 18 de julho, e a liquidação da operação ocorre em 22 de julho.

Estamos satisfeitos com o resultado e no andamento do processo o que a gente esperou que ia acontecer é o que está acontecendo.
Tarcísio de Freitas, governador de São Paulo

Quem é a Equatorial

Empresa é um conglomerado que atua em diversos segmentos de atividade. Fundada em 1999, a empresa tem histórico na área de energia. E o terceiro grupo com maior número de clientes, com operação nos estados do Maranhão, Pará, Piauí, Alagoas, Rio Grande do Sul, Amapá e Goiás.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo