Política

Janja recupera conta no X após hackeamento


Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

O Palácio do Planalto anunciou hoje que a plataforma X, antigo Twitter, conseguiu recuperar a conta da primeira-dama, Janja, após um ataque hacker. Segundo o governo, o acesso foi restabelecido seguindo os procedimentos padrão de segurança.

De acordo com informações oficiais, Janja entrou em contato com a equipe do X por telefone para relatar o ocorrido e solicitar a suspensão da conta. O processo de congelamento da conta levou cerca de uma hora e meia para ser concluído. Durante esse período, mensagens misóginas e violentas foram publicadas em nome da primeira-dama.

Os hackers invadiram o perfil de Janja no X e publicaram deboches à primeira-dama, a Lula e a Alexandre de Moraes.

“Eu apoio o Mensalão” e “Super Xandão presidente do Brasil em 2026” são alguns exemplos das postagens feitas pelos hackers. Há também mensagens obscenas.

A primeira postagem a partir do hackeamento da conta afirma que o perfil teria sido invadido por “Ludwig e Smalkade”. Os mesmos nomes aparecem na bio do perfil, que também foi alterada.

O episódio já repercute entre políticos. O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta (PT), disse que os responsáveis “serão identificados e responderão por mais esse crime”.

“Os covardes que compartilham e comentam destilando seu ódio, preconceito e violência também serão identificados”, acrescentou no X.

O governo ressaltou que, mesmo após a recuperação da conta, foi necessário um tempo adicional de mais de doze horas para remover todas as mensagens ofensivas que já haviam sido compartilhadas por terceiros.

Para auxiliar nesse processo, a Polícia Federal esteve presente no Palácio do Planalto, oferecendo suporte na preservação das evidências e investigação do caso.

A Advocacia Geral da União (AGU) também está envolvida no caso e já notificou a plataforma X para tomar as devidas providências.

Segundo o governo, a exibição de conteúdo que atentou contra a honra do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), poderá resultar em processos judiciais contra a empresa responsável pela plataforma.

Matéria: O Antagonista

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo