Esporte

Jenni Hermoso depõe na Justiça e relata ‘assédio constante’ após beijo forçado

Campeã da Copa do Mundo feminina de 2023 pela Espanha, a jogadora Jenni Hermoso reiterou perante um juiz nesta terça-feira (2) que o beijo recebido do então presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, Luis Rubiales, não foi consensual. Ela declarou ainda ter sofrido pressão para sair em defesa do ex-dirigente.

A jogadora, recém-contratada pelo clube mexicano Tigres Femenil, prestou depoimento na Audiência Nacional, em Madri. Ela denunciou Rubiales em setembro de 2023 pelo beijo forçado durante a entrega das medalhas, logo após a vitória da seleção espanhola no Mundial disputado em agosto na Austrália e na Nova Zelândia.

“Tudo está agora nas mãos da Justiça e isso é tudo que posso dizer”, afirmou a jogadora à imprensa ao deixar o tribunal.

Diante do juiz que investiga o caso, Hermoso afirmou que o beijo foi “inesperado” e “em nenhum momento consensual”, segundo fontes judiciais.

A jogadora afirmou ainda que sofreu “assédio constante” por parte de Rubiales e de seu entorno nos dias que se seguiram, o que “alterou sua vida normal, provocando uma situação de inquietação e tristeza”, de acordo com as mesmas fontes.

O juiz Francisco de Jorge abriu em setembro uma investigação contra Rubiales pelos supostos crimes de “agressão sexual” e “coações”, também pela suposta pressão sobre Hermoso e sua equipe.

Pouco depois, o magistrado convocou o ex-dirigente para prestar depoimento na condição de investigado e impôs a ele, como medida cautelar, a proibição de se aproximar a menos de 200 metros da jogadora.

Outras três pessoas, incluindo o ex-técnico da seleção feminina, Jorge Vilda, também estão sendo investigadas por suposta pressão.

Após uma recente reforma do Código Penal espanhol, um beijo não consensual pode ser considerado agressão sexual, uma categoria penal que agrupa todos os tipos de violência sexual. Segundo fontes do Ministério Público, Rubiales pode ser condenado a penas que vão desde multa até quatro anos de prisão.

A conduta do então presidente da federação espanhola no gramado do estádio de Sydney causou uma onda de indignação internacional.

Em um primeiro momento, Rubiales recusou-se a deixar o cargo pelo que alegou ter sido “um beijo consensual”. Em um discurso polêmico cinco dias depois, ele criticou o “falso feminismo”, assegurando que tinha autorização da jogadora para beijá-la.

Essa versão foi desmentida por Jenni Hermoso, que disse ter se sentido “vulnerável e vítima de uma agressão” ao receber o beijo. Para ela, foi “um ato impulsivo, machista, fora do lugar e sem qualquer tipo de consentimento”.

Pressionado, Rubiales acabou renunciando em 10 de setembro, afirmando ter sido “vítima de uma campanha desproporcional”. Mais tarde, foi suspenso por três anos de todas as atividades relacionadas ao futebol pela Fifa, decisão da qual anunciou que vai recorrer.

Hermoso, de 33 anos, tornou-se um símbolo da luta pela igualdade entre homens e mulheres no país e foi eleita a mulher do ano de 2023 pela edição espanhola da revista americana GQ.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo