Política

Juiz recua de suspensão da demarcação de terra indígena de Raoni

O juiz federal Hilton Savio reverteu, na última sexta-feira (8), a própria decisão que havia tomado, dias antes, suspendendo a demarcação da Terra Indígena Kapôt Nhinore, no Mato Grosso, onde nasceu o Cacique Raoni.

Na terça-feira (5), Savio acolheu um mandado de segurança protocolado pela deputada federal Coronel Fernanda (PL-MT), que pedia a suspensão do processo de demarcação do território, que é de responsabilidade da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) e do Ministério dos Povos Indígenas.

Porém, três dias depois, o mesmo juiz reconheceu, de ofício, a “incompetência absoluta da Justiça Federal para julgar o presente mandado de segurança, uma vez que impetrado contra ato de ministra de Estado”.

Segundo o ISA (Instituto Socioambiental), o território onde nasceu Cacique Raoni tem 362 mil hectares, fica na fronteira com o Pará e abriga três povos: Mebengôkre Kayapó, Yudja e os isolados Capot/Nhinore, que vivem em isolamento.

Atualmente, o território está em estudo e aguarda portaria declaratória, passo que, na prática, delimita e protege a área contra invasores. Depois, ele precisa ser declarado pelo Ministério da Justiça e homologado pela Presidência.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo