Esporte

Lenda do Beach Tennis, Marco Garavini lembra de jogo épico na Praia do Francês e prepara aposentadoria

Uma das lendas do Beach Tennis, o italiano Marco Garavini, que marcou época na década passada, está na Praia do Francês pela terceira vez para a disputa de mais uma edição do Pure Beach, com premiação de US$ 35 mil (R$ 175 mil) da categoria BT 400 com 470 pontos no ranking mundial.

Ele e o jovem brasileiro Natã Porte venceram na estreia por 6/1 6/0 contra os brasileiros Italo Lourenço e Guilherme Abrahão e enfrentam a dupla cabeça de chave 4 formada pelo russo Nikita Burmakin e Leonardo Branco, brasileiro.

“Minha terceira vez aqui, gosto de vir aqui, muito legal. O organizador sempre muito disponível com todos os jogadores, profissionais e amadores, é um dos maiores torneios”, elogiou o veterano.

Ele ainda lembrou de uma das maiores partidas da história do Beach Tennis, em 2022, nas quartas de final do Macena Open, na Praia do Francês, entre ele e Vinicius Font contra André Baran e Tomaso Giovannini, que saíram vitoriosos.

“Foi um jogo espetacular, bateu o recorde de audiência na época. Partida louca. Estávamos ganhando fácil o primeiro set, 4 a 1 no segundo e depois Baran pediu atendimento de três minutos de atendimento médico que acredito que ele não tinha nada demais e mudou a mentalidade minha e do Vini e eles começaram a jogar muito bem. Tivemos match-point, mas Giovannini devolveu muito bem. Foi um jogo duro para nós, mas curtimos muito. Eu tenho muitos anos de carreira, jogos lindos e esse foi um dos maiores”, disse Garavini, que completa 40 anos em julho.

O atleta vive em Roma e tem vindo com frequência ao Brasil. Ele vem dividindo o tempo treinando dentro de quadra e também servindo de técnico da top 10 romana, Flaminia Daina, que vive no Brasil, e do capixaba Álvaro Campanharo.

O trabalho já é o novo passo que o experiente atleta vem preparando para uma nova fase em sua vida. Ele destaca que a temporada de 2024 pode ser a última de sua brilhante carreira de seis títulos mundiais, sendo três de duplas (2010, 2013 e 2014) e outros três pela seleção da Itália. ‘Il Puma’, como é chamado no circuito, totaliza 65 conquistas no circuito mundial.

“Estou trabalhando como técnico .  Acredito que no próximo ano ou em dois anos irei parar, não mais que isso. Esse ano jogo com certeza todo, mas o próximo já não sei”, disse o atleta.

“Não estou mais focado para fazer tantos torneios , estou um pouco mais velho que os profissionais que estão jogando. Não tenho mais tanta energia como tinha três, quatro anos atrás”.

“É difícil fazer as duas funções (técnico e jogador) ao mesmo tempo . Chego nos torneios às 9 da manhã para prepará-los para os jogos deles e saio 9 da noite, acho que esse será meu futuro para eles”, disse Garavini, que no momento tenta conciliar a programação de seus jogos com o de seus atletas e até faz pedidos aos organizadores de eventos.

“Sempre tentamos falar para que meus jogos não sejam com os deles”, concluiu.

O Pure Beach conta com 1.200 atletas de dez países (Brasil, Espanha, Itália, França, Rússia, Porto Rico, Equador, Venezuela, Lituânia e Portugal).

Por fim, o torneio amador também já está rolando até o domingo com as categorias A, B, C e D em Duplas Masculina, Feminina, Mista além dos Masters e Juvenis.

Gazeta Esportiva

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo