Esporte

Lucas analisa estreia do São Paulo na Libertadores: “Vai ser um jogo bem difícil”

Nesta segunda-feira, o meia-atacante Lucas concedeu entrevista ao podcast Santo Papo, produzido pelo São Paulo. O ídolo tricolor comentou sobre a estreia do clube na Copa Libertadores, que acontece nesta quinta-feira, contra o Talleres, às 21h30 (de Brasília), no estádio Mario Kempes, em Córdoba, na Argentina.

“O Talleres vai ser um jogo bem difícil na Argentina, a sabe da rivalidade entre Brasil e Argentina. Independente do adversário, a gente tem que se preparar da melhor maneira para conseguir uma boa campanha na fase de grupos e se classificar”, comentou o jogador.

Para a edição de 2024, Lucas aposta na tradição do São Paulo, tricampeão da Libertadores. O jogador destacou a grandeza do Tricolor no torneio, e afirmou que os adversários vão analisar este fator.

“O São Paulo tem uma tradição linda na Libertadores, e eles veem isso. O Brasil tem dominado a Libertadores nos últimos anos, e tenho certeza que esse é um fator que eles vão analisar bem [..] A gente tem que fazer nosso papel, saber da nossa força, jogar e conseguir a classificação “, disse.

Campeão da Copa Sul-Americana em 2012, Lucas nunca disputou a Libertadores pelo São Paulo. O atleta saiu do Tricolor após o título continental e retornou na temporada passada.

“A gente tenta imaginar, mas acho que só no dia, só vivendo a experiência para gente entender o que significa isso (Libertadores) para o torcedor. Eu cresci assistindo o São Paulo na Libertadores, a gente vivia a atmosfera pela televisão e, agora, terei essa oportunidade de vivenciar dentro do campo. Ansiedade, expectativa enorme, a sensação vai ser muito especial de poder viver isso, jogar uma Libertadores com a camisa do São Paulo. Vou fazer meu melhor para que seja maravilhoso”, disse.

Lucas comentou sobre as diferenças dos torneios europeus para os sul-americanos. O jogador defendeu PSG, da França e Tottenham, da Inglaterra, nestas competições.

“Lá na Europa é diferente daqui. A logística é um pouco mais fácil porque os países são mais próximos uns dos outros, então você vai pegar voos diretos, sem conexão. Aqui é mais complicado, são viagens mais longas. Contra a LDU foram cinco horas de viagem. Tem o fator da altitude que também é delicado, na Europa não tem. A questão de torcida, atmosfera, não se compara com o Brasil. O que a torcida do São Paulo fez no jogo contra o Corinthians e contra o Flamengo na final, levando a gente no aeroporto, dificilmente vai ser encontrado na Europa”, afirmou.

Lucas também analisou o grupo do São Paulo na competição, que, além do Talleres-ARG, conta com Cobresal, do Chile, e Barcelona, do Equador.

“As vezes a logística é mais simples, mas o time é um dos favoritos. Acho que o sorteio é o que é, não temos que escolher adversário, seja aqui do Brasil ou uma logística mais simples ou mais complicada. Se a gente quer entrar nessa competição para ser campeão, não temos que escolher adversário nem logística, a gente tem que entrar em campo, fazer nosso papel e voltar para casa. Esse é o pensamento”, declarou.

“Eu conheço pouco de cada adversário, é difícil acompanhar os campeonatos de outros países. Mas sem dúvida nenhuma são adversários que vão brigar bastante na parte física”, comentou.

Gazeta Esportiva

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo