Economia

maior alta do Ibovespa em 2024 conseguirá surpreender na 2ª feira?

Pedidos acima do esperado, bom desempenho operacional e expectativas de que ameace o duopólio Airbus-Boeing fazem com que a Embraer (EMBR3) registre um forte desempenho das suas ações no ano, registrando a maior alta do Ibovespa no período com ganhos de 29,97%.

A fabricante de jatos pode ter uma chance para seguir surpreendendo o mercado na segunda-feira (18), quando divulga seus resultados do quarto trimestre de 2023 (4T23), antes da abertura do mercado, além do guidance (projeções) para este ano.

O Bradesco BBI questionou se poderia haver notícias positivas sobre a empresa ao realizar uma pesquisa com alguns investidores sobre suas expectativas em relação à receita líquida e ao lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) da companhia para 2024. Em média, os entrevistados esperam que a Embraer reporte receita líquida de US$ 6,2 bilhões e Ebitda de US$ 681 milhões em 2024.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

Contudo, embora os entrevistados esperem que a empresa reporte uma receita líquida de US$ 6,2 bilhões, em linha com o consenso (mas 5% abaixo das estimativas do BBI), quando olha para o Ebitda, o banco vê dois pontos de atenção.

“Em primeiro lugar, o consenso poderia começar a rever para cima as suas estimativas de Ebitda para 2024, uma vez que estão 6% abaixo do que os investidores acham e 18% menor do que as nossas estimativas. Em segundo lugar, o consenso espera um Ebitda conservador em 2024 de US$ 681 milhões, 13% abaixo das nossas estimativas”, avalia a equipe de análise do banco.

O cenário pode mudar justamente na segunda, segundo o BBI, com o guidance que a empresa deverá divulgar para 2024.

Continua depois da publicidade

Este último deverá incorporar, segundo o banco: (i) entregas de 70 aeronaves comerciais, contra 64 aviões em 2023; (ii) o fato de que em abril a Embraer começará a reservar receitas de serviços e suporte da expansão da Ogma, que deverá atingir uma receita anualizada de US$ 500 milhões; (iii) aumento da produção do KC-390, cujas vendas são contabilizadas com base na taxa de conclusão; e (iv) aumento da capacidade para produção de jatos executivos e o horizonte está lotado.

Já a alavancagem operacional deve aumentar a margem Ebitda da Embraer em 2024 para 11,5% a 12%, avalia o banco. “Esperamos que estes fatores resultem em revisões em alta tanto por parte do consenso e mantemos a nossa recomendação de compra para EMBR3, com preço-alvo de R$ 34,00 para o ano de 2024”, conclui o BBI ao ressaltar que há sim espaço para surpresas positivas do consenso de mercado.

Especificamente sobre o 4º trimestre, o BTG Pactual ressaltou esperar resultados fortes apesar das entregas mais fracas do que o esperado. A Embraer reportou a entrega de 49 jatos executivos (versus 50 no ano anterior) e 25 aeronaves comerciais (versus 30 no ano anterior), 5 unidades e 1 unidade abaixo do guidance para 2023, respectivamente.

Assim, estima uma receita de US$ 2 bilhões (estável ano a ano) e um Ebitda de US$315 milhões (+38% na base anual), garantindo uma margem Ebitda de 16% no 4º trimestre. Para os resultados de 2023, essa estimativa de Ebitda resulta em uma margem de 10%, dentro da faixa do guidance de 10-11%. A estimativa de lucro líquido é de US$177 milhões.

“Permanecemos construtivos em relação à Embraer, pois ela oferece exposição à indústria de aviação em recuperação e interessantes opções de valor (aceleração do eVTOL, cibersegurança, outras parcerias)”, afirmam os analistas.

Infomoney

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo