Tecnologia

Microsoft anuncia acordo com Mistral, rival da OpenAI; União Europeia investiga parceria

A Microsoft disponibilizará os modelos de inteligência artificial da startup francesa Mistral AI por meio de sua plataforma de computação em nuvem Azure sob uma nova parceria, anunciaram as empresas nessa segunda-feira (26). A União Europeia divulgou na terça-feira (27) que investigará o acordo.

O acordo plurianual sinaliza os esforços da Microsoft para oferecer uma variedade de modelos de IA além de sua maior aposta na OpenAI, enquanto a gigante da tecnologia busca atrair mais clientes para seus serviços em nuvem Azure.

Como parte do acordo, a Microsoft adquirirá uma participação minoritária na Mistral, confirmou a startup à Reuters sem divulgar detalhes.

A Microsoft confirmou seu investimento na Mistral, mas disse que não possui participação acionária na empresa. A Mistral trabalha com código aberto e grandes modelos de linguagem (LLM) proprietários, semelhante ao modelo que a OpenAI foi pioneira com o ChatGPT, que compreende e gera texto de maneira semelhante à humana.

A startup sediada em Paris também tem trabalhado com a Amazon e o Google para distribuir seus modelos. A empresa planeja disponibilizar o Mistral Large em outras plataformas em nuvem nos próximos meses, segundo um porta-voz.

A União Europeia anunciou que investigará o acordo como parte de seu exame contínuo das parcerias de IA das grandes empresas de tecnologia. O braço executivo da UE alertou anteriormente que o apoio da Microsoft à OpenAI pode estar sujeito às regras de fusão da UE.

“O que está surgindo mostra ainda mais que foi bom não enfraquecer nossa ambição quanto à segurança dos modelos de GPAI (IA de uso geral) com riscos sistêmicos, após o lobby legítimo, mas forte, de empresas como a Mistral”, disse Brando Benefei, membro do Parlamento Europeu que supervisionou a elaboração da Lei de IA. “Essa história (o acordo entre Microsoft e Mistral) precisará ser mais bem investigada.”

Ao longo das discussões sobre a ampla Lei de IA da UE, a Mistral fez lobby por regras mais flexíveis para alguns modelos, com alertas de que normas rígidas corriam o risco de minar a capacidade das empresas europeias de competirem com as grandes corporações de tecnologia.

Representantes de Microsoft e Mistral AI não comentaram o anúncio da União Europeia.

Yuvraj Malik, Krystal Hu, Martin Coulter e Foo Yun Chee

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo