Tecnologia

Não gostou de uma música? Spotify pode te deixar remixá-la

Capturas de tela de um veterano de tecnologia mostraram que o Spotify está trabalhando em recurso para permitir que usuários remixem canções dentro do serviço.

Por enquanto, a opção não passa de rumor, mas se os códigos divulgados estiverem certos, a plataforma deixaria a cargo do assinante editar as músicas como preferir.

Leia mais:

Possível novo recurso do Spotify

  • As capturas de tela foram divulgadas pelo pesquisador de aplicativo Chris Messina ao Tech Crunch. Messina é conhecido por adiantar futuros recursos dos apps a partir dos códigos;
  • A notícia do rumor já havia sido divulgada anteriormente pelo The Wall Street Journal. Fontes ouvidas pelo jornal disseram que as discussões eram iniciais e ainda não havia acordos de licenciamento para o recurso;
  • Se os códigos estiverem certos, a ferramenta faz com que entusiastas musicais e produtores não precisem usar outros softwares para editar canções, concentrando tudo no Spotify;
  • No entanto, as capturas de tela mostram que a opção de remixagem estaria disponível apenas para novo plano de assinatura acima do atual, chamado “Music Pro”.
Imagem: Diego Thomazini/Shutterstock

Como funcionaria a mixagem

Uma das capturas de tela faz referência a diferentes ferramentas de remixagem que permite aos usuários “flexibilizar suas habilidades de DJ com diferentes estilos de transição para criar a mixagem definitiva”.

Entre as opções, os assinantes poderiam “definir a faixa de andamento de seu mix” e “definir a vibração de seu mix”, ou seja, fazer mudanças no ritmo para melhor se adequar à situação em que estão escutando. Na teoria, seria possível transformar uma música lenta em algo animado para integrar uma playlist de exercícios físicos, por exemplo.

Outras opções de mixagem incluem fazer uma música “se misturar rapidamente na próxima faixa”, “maximizar a sobreposição para uma mistura imersiva e em camadas de faixas” e “mudar instantaneamente de uma faixa para outra”, além de aumentar o BPM (batidas por minuto), bem como inserir e editar transições.

Mixagem profissional?

Ao que parece pelos códigos divulgados, a mixagem do Spotify não seria direcionada apenas para profissionais.

Uma linha diz que os usuários podem “reordenar automaticamente sua mixagem sequenciando faixas com tonalidade, andamento e estilo semelhantes” e “escolher como ordenar sua mixagem ou selecionar a ordem automática para que o Spotify a sequencie para você”. Ou seja, é possível que um mecanismo automatizado da própria plataforma crie o mix perfeito ao pedido do usuário.

Como ficam as músicas originais?

Até a atualização do WSJ, o Spotify não tinha feito acordos em relação a direitos e licenciamentos, então, a resposta não é clara.

O TechCrunch especulou que é possível que os artistas ganhem dinheiro com os remixes vinculados às suas faixas originais.

O site também aponta alguns problemas: atualmente, há versões de músicas já existentes que foram remixadas até um ponto em que perdem a proteção dos direitos autorais, algo que o Spotify teria que se adiantar.

O que o Spotify revelou sobre a ferramenta

A plataforma chegou a responder ao TechCrunch que explora constantemente novas ideias para melhorar a oferta de produtos para os usuários, mas que não comenta especulações sobre novos recursos.

Olhar Digital

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo