Esporte

Oscar Pistorius é libertado após 11 anos preso por assassinato de namorada

O ex-astro paralímpico sul-africano Oscar Pistorius foi libertado sob condicional nesta sexta-feira (5), quase 11 anos depois de assassinar sua namorada em um crime que chocou uma nação há muito acostumada com a violência contra as mulheres.

Pistorius – apelidado de “Blade Runner” por suas pernas protéticas de fibra de carbono – atirou e matou a modelo Reeva Steenkamp, de 29 anos, através de uma porta de banheiro trancada no Dia dos Namorados de 2013.

Ele repetidamente afirmou que confundiu Steenkamp com um intruso quando disparou quatro tiros no banheiro de sua casa em Pretória, e lançou múltiplos recursos contra sua condenação com base nesse argumento.

“O Departamento de Serviços Correcionais pode confirmar que Oscar Pistorius é um liberado condicional, efetivamente a partir de 5 de janeiro de 2024. Ele foi admitido no sistema de Correções Comunitárias e agora está em casa”, disse o departamento de prisões do país em um comunicado.

Pistorius, agora com 37 anos, passou cerca de oito anos e meio na prisão, além de sete meses em prisão domiciliar antes de ser condenado por assassinato. Um conselho de liberdade condicional decidiu em novembro que ele poderia ser libertado após cumprir mais da metade de sua sentença.

Em um comunicado compartilhado pelo advogado da família Steenkamp na sexta-feira, a mãe de Reeva, June, disse: “Não pode haver justiça se seu ente querido nunca mais voltar, e nenhum tempo cumprido trará Reeva de volta.”

“Nós, que ficamos para trás, somos os que estão cumprindo uma sentença perpétua”, disse June Steenkamp, acrescentando que seu único desejo era ser permitida a viver em paz após a libertação de Pistorius sob condicional.

Um oficial de monitoramento irá vigiá-lo até o término de sua sentença em dezembro de 2029, e Pistorius terá que informar se busca oportunidades de emprego ou muda de endereço.

Ele também é obrigado a continuar a terapia de controle de raiva e participar de sessões sobre violência de gênero como parte de suas condições de liberdade condicional, disse a família Steenkamp.

June Steenkamp disse que as condições impostas pelo conselho de liberdade condicional confirmaram sua crença no sistema de justiça sul-africano, pois enviam uma mensagem clara de que a violência de gênero é levada a sério.

Um advogado de Pistorius não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre sua libertação na sexta-feira.

A mídia local espera que ele viva na casa de seu tio Arnold Pistorius em um bairro rico de Pretória.

Os sul-africanos têm reações mistas à sua libertação, com alguns sentindo que ele cumpriu sua pena, enquanto outros veem sua punição como muito branda.

“Ele pagou o preço. Deixem-no reconstruir sua vida”, disse um morador local a repórteres reunidos fora da casa de seu tio na manhã de sexta-feira.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo