Economia

pagamento de dividendos extraordinários não foi pauta de reunião do conselho

A reunião do colegiado da Petrobras ocorreu em meio à crise envolvendo uma potencial troca de comando da estatal. Segundo o jornal Folha de S. Paulo na última quinta-feira (4), o presidente da estatal, Jean Paul Prates, teria pedido uma reunião com o presidente Lula para conversar sobre a sua situação na empresa, expondo as conquistas e problemas de sua gestão.

Ele decidiu tomar a iniciativa depois que os ataques se intensificaram, partindo especialmente do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e do ministro da Casa Civil, Rui Costa. Em resposta, a companhia informou ao mercado na sexta-feira (5) que não tem conhecimento de qualquer decisão de substituição do atual CEO da companhia.

A declaração da Petrobras ocorreu após notícias sobre uma possível troca de Prates pelo atual presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante.

Segundo apuração do Valor Econômico, Mercadante afirmou à interlocutores que não garante permanência no BNDES. Ainda de acordo com o jornal, o presidente Lula já teria formalizado o convite para Mercadante assumir a presidência da Petrobras, e que tanto o presidente do BNDES como Prates têm boa relação e já conversaram sobre o tema.

Na última quinta-feira (4), a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) abriu um processo administrativo para investigar divulgações de notícias sobre a Petrobras, que passou o dia sendo alvo de especulações sobre troca no comando e distribuição de dividendos extraordinários.

A autarquia, porém, não informa quais informações são alvo do processo da Petrobras, que trata da supervisão de notícias, fatos relevantes e comunicados. Em geral, esse tipo de processo questiona a demora de empresas em se posicionar sobre notícias que impactam o valor das ações, informou o jornal Folha de S. Paulo.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo