Política

Podcast: autores de livro defendem que golpismo de Bolsonaro foi barrado por instituições

“Como as Democracias Morrem?” e “Como Salvar a Democracia?” são livros que ganharam espaço em anos recentes ante a ascensão de líderes populistas autoritários. No Brasil, a Presidência de Jair Bolsonaro (PL) e o golpismo que culminou no 8 de Janeiro chamaram a atenção dos pesquisadores que esquadrinham a crise da democracia liberal.

Os cientistas políticos Marcus André Melo, colunista da Folha, e Carlos Pereira avaliam que, apesar dos abalos, a democracia brasileira não sofreu risco real e que, sob Bolsonaro, a vida democrática e a civilidade política estiveram sob ameaça, mas as instituições não.

Em “Por que a Democracia Brasileira Não Morreu?”, recém-lançado, eles argumentam que, no fim das contas, as instituições forçaram Bolsonaro a abandonar a retórica antissistema e garantiram a manutenção do sistema político —até o presidencialismo de coalizão, hoje em crise, pode ter sido elemento-chave na resistência democrática.

O episódio desta segunda-feira (24) do Café da Manhã recebe Marcus André Melo e Carlos Pereira, que discutem a força das instituições brasileiras, o papel de cada uma na manutenção da democracia e se houve fraturas deixadas pelas tentativas golpistas.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando acima. Para acessar no aplicativo, basta se cadastrar gratuitamente.

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelas jornalistas Gabriela Mayer e Magê Flores, com produção de Carolina Moraes e Lucas Monteiro. A edição de som é de Raphael Concli.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo