Economia

Por que shoppings não têm janela?

O arquiteto por trás do design foi Victor Gruen, nascido na Áustria, que estabeleceu o escritório de Gruen Associates que ainda existe em Los Angeles. Ele queria surpreender os que entrassem no prédio com as lojas bem iluminadas, cafés e exposições de arte ao redor do shopping.

No centro do layout do shopping uma claraboia seria, possivelmente, o único ponto para entrada de luz natural no amplo espaço. O arquiteto adicionou também música e plantas para uma atmosfera convidativa. Por conta de toda a atividade acontecendo do lado de dentro, janelas não faziam sentido.

De acordo com Stephanie Cegielski, em entrevista à CNN, vice-presidente de pesquisa do Conselho Internacional de Shoppings Centers, a construção em T utilizado em shoppings tradicionais favorece que o consumidor esteja sempre olhando para o produto que estará exposto em seguida, em vez de o ambiente exterior.

Mas a arquitetura dos shoppings vem mudando. As famílias vão até esses estabelecimentos também a procura de entretenimento e desfrutam de restaurantes, filmes, exposições e brinquedos. Algumas dessas novas possibilidades podem criar necessidade de janelas, diz Cegielski.

Alexandra Lange, crítica de arquitetura e autora de “Encontre-me na fonte: uma história interna do shopping”, em entrevista à CNN, explica que os shoppings são construídos para ter a paisagem por dentro.

Toda a energia arquitetônica que normalmente vemos no exterior de um edifício em um ambiente urbano é focada internamente. Um shopping é uma máquina de vender.
Alexandra Lange

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo