Economia

Quais as datas para ganhar dividendos de Petrobras, Alupar e outras ações

Ela deve pagar em linha com rivais. Se a companhia seguir estritamente seu plano estratégico 2024-2028 e pagar apenas o dividendo ordinário, o dividend yield (retorno em proventos) não seria muito superior ao de outras grandes petrolíferas como Chevron, Exxon e Shell, avalia Gustavo Poladian, sócio e analista de renda variável da Meraki Capital. Ele projeta um dividend yield entre 10% e 11%. Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos, espera que a Petrobras pague dividendos de R$ 4,40 em 2024, equivalente a um dividend yield de 12%. O cálculo considera apenas dividendos regulares.

Historicamente a Petrobras tem investido (capex) 20% a 25% abaixo do planejado. Somado ao potencial de produção de petróleo, o retorno com dividendos poderia ultrapassar os 13%. Arbetman afirma que, graças a um trabalho feito pela gestão na última década, a petrolífera estaria pronta para gerar resultados com o petróleo Brent a US$ 50. No entanto, no patamar de US$ 80, a geração de caixa deve ser robusta.

Entre os riscos, Poladian destaca a dívida bruta da empresa. A dívida encerrou o 4° trimestre de 2023 em US$ 62,6 bilhões, próximo do limite para a política de dividendos, de US$ 65 bilhões. “Isso gera incerteza sobre o que poderia ocorrer com as distribuições caso esse limite seja ultrapassado”, avalia.

Abertman lembra também das refinarias nacionais, usadas para produção doméstica. “Quando não consegue, por paradas de produção no Brasil, a Petrobras faz exportações de petróleo cru, mas normalmente não há problemas em alocar o petróleo que é feito nacionalmente”, detalha Arbetman.

Caixa Seguridade: bons ventos em 2024?

Para quem busca uma exposição ao mercado de seguros e imobiliário, a Caixa Seguridade é uma alternativa. A companhia tem forte presença nos seguros habitacionais e residenciais, explica Milton Rabelo, analista da VG Research. Em janeiro, por exemplo, houve um crescimento de 8% dos prêmios arrecadados, com destaque para prestamista e habitacional. “É válido apontar que o seguro residencial apresentou o melhor janeiro histórico, R$ 73,3 milhões de prêmios emitidos, crescimento de 28,9% em comparação a janeiro de 2023 e aumento de 14,2% na comparação com dezembro de 2023”, detalha o analista.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo