Tecnologia

Resultados da Uber surpreendem – no bom e no mau sentido

A Uber, gigante do transporte por aplicativo, divulgou nesta quarta-feira (08) seus resultados financeiros para o primeiro trimestre de 2024. As receitas ficaram ligeiramente acima das expectativas dos analistas, mas a empresa apresentou prejuízo inesperado. 

Uber apresenta resultados financeiros agridoces no 1º trimestre de 2024

  • A Uber superou ligeiramente as expectativas de receita no primeiro trimestre de 2024, com US$ 10,13 bilhões, mas enfrentou um prejuízo significativo de US$ 654 milhões, piora considerável em comparação ao mesmo período do ano anterior;
  • O prejuízo foi atribuído a ajustes de US$ 721 milhões em perdas não realizadas na reavaliação de investimentos. O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, esclareceu que essas perdas foram um evento não recorrente e não refletem o desempenho operacional da empresa;
  • A mobilidade e as entregas da Uber continuaram a crescer, com as reservas brutas de mobilidade alcançando US$ 18,67 bilhões e as de entrega US$ 17,7 bilhões. O EBITDA (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) ajustado da empresa também subiu 82% em relação ao ano anterior;
  • Para o segundo trimestre de 2024, a Uber espera reservas brutas entre US$ 38,75 bilhões e US$ 40,25 bilhões e um EBITDA ajustado entre US$ 1,45 bilhão e US$ 1,53 bilhão, valores que estão ligeiramente abaixo das estimativas de mercado.

A big tech registrou receita de US$ 10,13 bilhões (R$ 50,7 bilhões), superando as previsões de US$ 10,11 bilhões (R$ 50,6 bilhões). 

No entanto, a Uber enfrentou prejuízo de US$ 654 milhões (R$ 3,3 bilhões) – ampliação significativa em relação à perda de US$ 157 milhões (R$ 785 milhões) do mesmo trimestre do ano anterior.

Leia mais:

Prejuízo inesperado da Uber derruba ações da empresa

(Imagem: Alex Millauer / Shutterstock)

A queda de 5% nas ações da Uber nas negociações de quarta-feira reflete a surpresa do mercado com o aumento das perdas. A empresa atribuiu a escalada da perda líquida principalmente a um ajuste de US$ 721 milhões (R$ 3,6 bilhões) de perdas não realizadas na reavaliação de seus investimentos em ações. 

O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, comentou em entrevista à CNBC que essa perda foi um evento não recorrente, ligado apenas às participações acionárias e não à operação do negócio.

Apesar das perdas, a Uber reportou um crescimento considerável nas reservas brutas, alcançando US$ 37,65 bilhões (R$ 188,3 bilhões) no trimestre, embora ligeiramente abaixo da previsão de US$ 37,93 bilhões (R$ 190 bilhões). 

A empresa também destacou crescimento robusto no EBITDA – sigla em inglês para Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização – ajustado, que aumentou 82% ano a ano, para US$ 1,38 bilhão (R$ 6,9 bilhões), superando as expectativas de $1,31 bilhão (R$ 6,55 bilhões).

Uber registra aumentos em negócios, mobilidade e consumidores

uber roteiro
(Imagem: Diego Thomazini/Shutterstock)

Nos segmentos de negócios da Uber, a mobilidade liderou com US$ 18,67 bilhões (R$ 93,35 bilhões) em reservas brutas, um aumento de 25% ano a ano, enquanto a entrega registrou US$ 17,7 bilhões (R$ 88,5 bilhões), um crescimento de 18%. 

O segmento de mobilidade trouxe US$ 5,63 bilhões (R$ 28,15) em receita, aumentando 30% em relação ao ano anterior, enquanto o segmento de entrega relatou US$ 3,21 bilhões (R$ 16,05) em receita, um aumento de 4%.

O número de consumidores ativos mensais na plataforma também viu um aumento significativo, subindo para 149 milhões, um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. 

A Uber completou 2,6 bilhões de viagens na plataforma durante o trimestre, marcando um aumento de 21% ano a ano.

Projeções da Uber estão abaixo das estimativas do mercado

uber
(Imagem: Marlon Trottmann/Shutterstock)

Para o segundo trimestre, a Uber projeta reservas brutas entre US$ 38,75 bilhões (R$ 193,75 bilhões) e US$ 40,25 bilhões (R$ 201,25 bilhões) e um EBITDA ajustado entre US$ 1,45 bilhão (R$ 7,25 bilhões) e US$ 1,53 bilhão (R$ 7,65 bilhões). 

Essas projeções estão alinhadas, mas ligeiramente abaixo das estimativas de mercado, o que pode ter contribuído para a reação negativa do mercado às ações.

Olhar Digital

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo