Saúde

Saiba como nova plataforma pode ajudar a aumentar as taxas de vacinação

Nesta segunda-feira 4, foi lançada a VacinaBR, uma plataforma virtual interativa, para melhorar as estratégias de vacinação e aumentar as taxas de cobertura no Brasil. De fácil acesso, oferecerá aos usuários a possibilidade de gerar mapas, gráficos e visualizar tabelas referentes aos índices de imunização, com a opção de filtrar ou agregar os dados por localidade, imunizante, enfermidade e ano.

Desenvolvida pelo Instituto Questão de Ciência (IQC) em parceria com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), ela ainda ajudará os gestores públicos a acompanhar as estatísticas, compará-las com as de outras localidades e definir estratégias para ampliar a adesão às vacinas, um problema urgente no país gerado principalmente pela hesitação vacinal e as fake news disseminadas pelo antigo governo, e que tem por consequência, o ressurgimento de doenças já erradicadas como o sarampo.

“Ao considerar a transparência e a comunicação como pilares fundamentais para a informação da população e de públicos-chave, e para a melhor tomada de decisão governamental, é determinante que os números e estatísticas da vacinação estejam disponíveis facilmente”, diz Natalia Pasternak, presidente do IQC, que acrescenta: “Conhecer os dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI) em profundidade permite a análise de indicadores como os públicos e localidades com menor cobertura, possibilitando soluções mais rápidas e eficazes”.

Estabelecido em 1973, o PNI tem como objetivo coordenar as ações de imunização em todo o país, garantindo o acesso universal e gratuito às vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a outros imunizantes e insumos definidos pelo Ministério da Saúde.

Fácil Acesso

Vale ressaltar que a facilidade de acesso também viabiliza um melhor acompanhamento por parte de sociedades científicas, imprensa e pesquisadores. “A transparência é fundamental para ampliar a confiança da população na segurança e eficácia das vacinas”, frisa Pasternak.

A saber, os dados que estarão no VacinaBR são coletados de repositórios do Plano Nacional de Imunizações (PNI) disponíveis nos portais do Datasus e de outros sistemas do Ministério da Saúde, com informações sobre doses aplicadas, tabelas informativas de imunizantes (calendários nacionais de vacinação) e estatísticas demográficas do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Sinasc) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fundamentais para o cálculo de taxas de cobertura, e que mesmo abertos ao público, são de difícil interpretação, algo que a plataforma pretende resolver.

Urgência Nacional

As baixas coberturas vacinais estão cada vez mais procupantes entre gestores públicos, profissionais da saúde e cientistas. “O Brasil está em um momento crítico”, afirma Isabella Ballalai, diretora da SBIm.

Atualmente, o país é classificado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) como de risco muito alto para o retorno da poliomielite, por exemplo. “Situação que seria impensável há alguns anos. Se não quisermos viver um retrocesso histórico, precisamos trabalhar em todas as frentes para reforçar a imagem da vacinação como ferramenta de promoção da qualidade de vida”, completa.

Assim, ações coordenadas e bem-planejadas de vacinação podem ajudar e muito na possibilidade de erradicar e controlar doenças, além de reduzir a mortalidade de crianças e adultos, caso da nova plataforma que pretende auxiliar na retomada de índices mais elevados de imunização. “As vacinas salvam mais de 3 milhões de pessoas por ano”, afirma Renato Kfouri, médico infectologista, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). “Precisamos resgatar a confiança nas vacinas, mostrar como são seguras e eficazes e a importância de continuar vacinando para nos livrarmos dessas doenças evitáveis.”

 

Veja

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo