Política

Secretária do governo de MG é ameaçada por licenciamento na Serra do Curral

Áudios atribuídos ao empresário João Alberto Paixão Lages, presidente da AMF (Associação de Mineradoras de Ferro do Brasil), trazem ameaças contra a secretária de Meio Ambiente de Minas Gerais, Marília Carvalho de Melo, por causa do processo de licenciamento ambiental na Serra do Curral, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Lages é ligado à mineradora Gute Sicht, que teve as atividades na região suspensas em janeiro de 2023 por decisão judicial em decorrência de ilegalidades observadas em investigações da Polícia Federal. A medida também foi aplicada contra a Fleurs Global Mineração, que atuava no local.

A Gute Sicht é acusada de descumprir embargo e suspensão de atividade minerária determinados pela SMMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente). A PF também afirmou que o local de atuação da empresa estava inserido numa área tombada na Serra do Curral, onde a mineração é proibida por lei municipal.

Em dezembro do ano passado, a secretária recebeu os áudios, supostamente enviados pelo empresário. Em uma das gravações, de um minuto de duração, a pessoa chama Melo de “ilustre secretária de merda nenhuma” e diz que “é o João Alberto que tá falando.”

“Aqui, cê para de bandidagem, de tentar extorquir a Global no nosso licenciamento”, diz.

“Nós queremos apenas uma coisa limpa, que é uma audiência pública. E você determinar para que isso não aconteça, demonstra o apartamento que você tem, o carro que você tem, as drogas da sua família e da sua mãe”, continua. “Portanto, Marília, até agora você não enfrentou nada como eu. Mas daqui pra frente vai ser diferente.”

Em outro áudio, o autor fala: “Então, minha amiga, bora lá, ué, pra guerra.”

Em nota, a Secretaria afirma que, em “dezembro de 2023, em decisão técnica fundada na transparência e lisura dos atos públicos”, determinou que a publicação da audiência pública para licenciamento da empresa Fleurs Global ocorresse a partir de 16 de janeiro de 2024 —a audiência ocorreu em fevereiro deste ano.

“Uma pessoa, inconformada com a decisão, através de áudios via WhatsApp, questionou o procedimento e ameaçou a secretária que, em razão do ocorrido, tomou as providências legais necessárias”, diz.

“Importante informar que o processo de licenciamento ambiental da empresa em questão está tramitando legalmente no órgão responsável.”

O Painel procurou o empresário por WhatsApp e por email, sem sucesso.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo