Notícias

Trump recorre de multa milionária – 26/02/2024 – Mundo

O ex-presidente dos EUA Donald Trump recorreu nesta segunda-feira (26) de uma decisão de um juiz de Nova York que o ordenou a pagar uma multa de US$ 454 milhões, cerca de R$2,3 bilhões, em um caso de fraude financeira.

Trump pediu que uma corte de segunda instância no estado revertesse a decisão do último dia 16, na qual o juiz Arthur Engoron entendeu que Trump exagerou o próprio patrimônio a fim de conseguir empréstimos mais vantajosos e o condenou a pagar uma multa de US$ 354 milhões. O julgamento durou três meses.

Na última sexta (23), Engoron atualizou o valor da multa com juros em US$ 100 milhões. O novo valor acumula juros diários de US$ 114 mil.

O caso, um dos vários enfrentados por Trump, começou a ser investigado em 2019 e foi movido pela procuradora-geral de Nova York, Letitia James, que foi atacada diversas vezes pelo ex-presidente ao longo de todo o processo —em janeiro, ele a chamou de “política” e “corrupta” em uma publicação na sua rede social, a Truth Social.

James é filiada ao partido democrata, algo comum no país, uma vez que procuradores-gerais dos estados são eleitos ao cargo. Ela acusou Trump de superestimar o próprio patrimônio em até US$ 3,6 bilhões, ou quase R$ 18 bilhões, em documentos entregues a bancos.

A multa pode afetar significativamente os recursos financeiros de Trump no momento em que o ex-presidente se prepara para concorrer novamente à Casa Branca. O empresário é o franco favorito a vencer as primárias do partido republicano e ser o candidato da sigla à presidência.

Na decisão do dia 16, a Justiça também proibiu Trump de ocupar um cargo de destaque em qualquer empresa de Nova York por três anos, ou de buscar empréstimos junto a bancos registrados no estado.

A corte de segunda instância tem o poder de suspender o pagamento da multa enquanto analisa o recurso, um processo que pode durar anos.

Trump nega qualquer irregularidade, e diz ser vítima de uma perseguição política. O caso de fraude em Nova York é um dos casos civis do ex-presidente, que também enfrenta quatro acusações criminais —uma delas relacionada à tentativa de reverter o resultado das eleições de 2020 e outra, ao ataque ao Capitólio em 6 de janeiro de 2021.

Matéria: UOL Notícias

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo