Tecnologia

TV Folha explica como o tráfego de robôs vai superar o de humanos na internet em 2024

A ideia de que a internet “morreu” foi vista durante muitos anos como uma teoria da conspiração sem credibilidade. Ela defendia que a atividade online após o ano de 2016 passou a consistir, principalmente, em robôs automatizados com a missão de estimular o consumo e manipular percepções humanas desavisadas.

Na época, a inteligência artificial que se via na prática não sustentava o alarmismo. Nos anos seguintes, o setor viveu uma explosão de investimento e passou a virar produto em todo lugar. Depois veio a invasão dos fóruns, blogs e redes sociais pelos robôs, que aprenderam a criar perfis e posts, e agora a previsão de que eles nos ultrapassem em volume de tráfego online é só uma questão de tempo. E deve acontecer ainda em 2024.

Para se ter uma ideia, o tráfego de bots na internet vem crescendo a uma taxa de 5% ao ano. Segundo uma pesquisa da Imperva, uma empresa norte-americana de cibersegurança, o tráfego online de robôs já corresponde a 49,4% do total. Entre esses, 32% são considerados “maliciosos”, com intenção de coletar informações, influenciar questões comerciais e políticas e fazer ciberataques. Vários são capazes de imitar os humanos, se tornando indetectáveis. Enquanto isso, a taxa de acesso à rede cai a cada ano. De 2021 a 2022, a queda foi de 5,1%.

Um estudo do Instituto de Estudos do Futuro de Copenhague prevê que 99% do conteúdo que será postado na internet em cinco anos será gerado por inteligência artificial. Ou seja, só 1% será feito por humanos. Se a tendência continuar, em breve a internet será terra de ninguém, ou melhor, de robôs.


Nesse vídeo produzido pela TV Folha, o colunista Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, explica essa transformação.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo