Economia

vendas caem 1,1% em março, aponta índice da Cielo (CIEL3)

O macrossetor de ‘bens não duráveis’ foi o único a apresentar crescimento no mês, 2%. Com alta no faturamento, o setor de ‘varejo alimentício especializado’ foi o destaque neste caso.

“Uma das hipóteses para a queda do varejo em março foi a inflação, que acelerou e pode ter desestimulado o consumo. O resultado só não foi mais negativo porque comércios mais impactados pela Páscoa como chocolaterias e supermercados registraram crescimento nas vendas”, diz Carlos Alves, vice-presidente de tecnologia e negócios da Cielo.

Em termos nominais, ou seja, que refletem a receita observada pelo varejista, o ecommerce cresceu 5,2% em março. Já as vendas presenciais subiram 2,1% em relação ao mesmo mês de 2023, segundo o ICVA da Cielo.

ICVA por região

De acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, os resultados de cada
região em relação a março de 2023 foram: Sul (-0,1%), Centro-Oeste (-0,3%), Nordeste (-0,4%), Sudeste (-0,7%) e Norte (-1,2%).

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – e com ajuste de
calendário, os destaques foram as regiões Sudeste (+3,9%), Sul (+3,2%), Norte (+2,9%), Centro Oeste (+2,5%) e Nordeste (+2,4%), segundo dados do Índice Cielo do Varejo Ampliado.

Matéria: UOL Economia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo