Esporte

Vini Jr se torna sócio de empresa de esports Loud

O astro da seleção brasileira e do Real Madrid, Vinicius Jr anunciou nesta quinta-feira (14) que se tornou sócio da equipe de esports Loud.

Segundo o anúncio, o jogador irá participar de conteúdos e experiências promovidas pela organização, fundada em 2019 pelo criador de conteúdo Bruno “PlayHard” Bittencourt e os empresários Jean Ortega e Matthew Ho.

“Como um gamer de longa data, eu vejo o impacto positivo que o videogame tem na vida e identidade dos jovens brasileiros”, disse o atleta. “Juntos, vamos produzir ótimos conteúdos e desenvolver vários projetos, incentivando os jovens a priorizarem seus estudos e apoiar a próxima geração de atletas, seja no campo ou nos games”, acrescentou.

A parceria entre as partes também prevê iniciativas relacionadas à educação e ao Instituto Vini Jr, projeto social criado pelo atacante em 2021 em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, que oferece reforço escolar para jovens de baixa renda.

Em outubro, o Instituto ganhou o Prêmio Sócrates, criado pela revista France Football no ano passado em homenagem ao ex-jogador do Corinthians para identificar ações sociais promovidas por agentes da bola.

Diante das cifras bilionárias movimentadas pelos esports, Messi e Cristiano Ronaldo também anunciaram recentemente investimentos relacionados ao universo dos jogos eletrônicos.

Em novembro, o craque argentino do Inter Miami se tornou sócio da equipe KRÜ Esports, fundada em 2020 pelo ex-companheiro de seleção, Sergio Aguero, que se aposentou dos gramados no fim de 2021 por conta de problemas cardíacos.

Ronaldo, por sua vez, fez um investimento de US$ 40 milhões (R$ 198,3 milhões) no jogo eletrônico de futebol UFL, em fase final de desenvolvimento. O objetivo dos criadores é que o jogo venha a rivalizar com o EA Sports FC, da Electronic Arts, e o.eFootball, da Konami.

Segundo estimativas da consultoria Mordor Intelligence, o mercado de esports deve movimentar um volume financeiro de aproximadamente US$ 2 bilhões (R$ 9,9 bilhões) em 2023, valor que deve saltar para US$ 4,39 bilhões (R$ 21,7 bilhões) até 2028, o que corresponderia a um crescimento de aproximadamente 120%.

Folha de São Paulo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo