Política

Viradouro é campeã do Carnaval 2024 no Rio de Janeiro

A Unidos do Viradouro, escola de samba de Niterói, sagrou-se campeã do grupo especial do Carnaval do Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 14. Com esse título, a agremiação conquista seu terceiro troféu, sendo também campeã em 2020 e 1997. Além disso, a escola foi vice-campeã em 2023.

A Unidos do Viradouro foi a última escola a se apresentar na Marquês de Sapucaí, encerrando com chave de ouro os desfiles no Rio de Janeiro.

As escolas Grande Rio, Imperatriz Leopoldinense, Mocidade e Beija-Flor enviaram um documento à Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) hoje, solicitando punição à Viradouro por uma suposta irregularidade em sua Comissão de Frente durante o desfile.

No início da apuração, o presidente da Liesa, Jorge Perlingeiro, informou que a Liga aceitou os recursos e analisará os pedidos, divulgando o resultado até esta quinta-feira, 15.

As escolas alegam que a rival tinha mais integrantes do que o permitido na ala, o que poderia resultar na perda de até 0,5 ponto na pontuação da agremiação. No entanto, com a vantagem obtida pela Unidos do Viradouro, isso não afetaria o resultado final da campeã.

As melhores escolas

A apuração para eleger a escola de samba campeã do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro ocorreu nesta quarta-feira (14). Ao todo, doze agremiações cruzaram a Marquês de Sapucaí nos dias 11 e 12 de fevereiro, sendo avaliadas em nove quesitos por quatro jurados.

A nota mais baixa atribuída a cada escola em cada quesito é descartada. Ao final da apuração, as seis primeiras colocadas se credenciam a participar do Desfile das Campeãs no sábado (17), enquanto a última colocada será rebaixada e desfilará na Série Ouro em 2025.

Os quesitos avaliados foram: Alegorias e Adereços, Bateria, Evolução, Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Comissão de Frente, Enredo, Harmonia, Samba-Enredo e Fantasias. É importante destacar que o último quesito é essencial para o desempate.

Nas regras obrigatórias de comissão de cronometragem, dispersão e direção artística, nenhuma escola foi penalizada, garantindo um início equilibrado na apuração.

O primeiro quesito avaliado foi Alegorias e Adereços, que já começou com jurados mais criteriosos. Algumas notas de 9,6 e 9,7 foram distribuídas. No final, apenas três escolas alcançaram a pontuação máxima: Grande Rio, Unidos de Vila Isabel e Unidos do Viradouro.

Bateria foi o segundo quesito avaliado e as notas começaram a subir. Dez agremiações receberam a nota máxima, ou seja, 30 pontos. Apenas Unidos do Porto da Pedra e Portela ficaram com uma pontuação ligeiramente inferior.

A terceira categoria avaliada foi a Evolução, que representa a fluidez da apresentação. Grande Rio, Unidos da Tijuca, Imperatriz Leopoldinense, Portela, Unidos de Vila Isabel e Unidos do Viradouro receberam a nota máxima.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira foram avaliados em seguida. As oito duplas de escolas obtiveram a pontuação máxima nesse quesito. Unidos da Tijuca, Portela, Unidos de Vila Isabel e Porto da Pedra ficaram com décimos a menos.

Na Comissão de Frente, apenas Grande Rio, Estação Primeira de Mangueira, Unidos do Tuiuti e Unidos do Viradouro alcançaram a nota máxima.

O sexto quesito avaliado foi Enredo e mais uma vez houve descontos de décimos nas notas. Somente Portela, Unidos de Vila Isabel e Unidos do Viradouro atingiram 30 pontos. Esse quesito foi determinante para o Viradouro assumir a primeira colocação.

Harmonia foi avaliada na sequência. Apenas Acadêmicos do Salgueiro, Imperatriz Leopoldinense, Estação Primeira de Mangueira e Unidos do Viradouro receberam a nota máxima.

O penúltimo quesito avaliado foi Samba-Enredo. Acadêmicos do Salgueiro, Imperatriz Leopoldinense, Portela, Estação Primeira de Mangueira e Unidos do Viradouro garantiram 30 pontos.

O último quesito avaliado foi Fantasias.



Matéria: O Antagonista

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo