Economia

XP quer formar 2 mil consultores de investimentos até 2025; veja perfil procurado






O número de investidores no Brasil tem crescido a cada mês e já superou a marca de 5,1 milhões, de acordo com dados da B3, a Bolsa de Valores brasileira. Dado o movimento, um profissional tende a ser cada vez mais procurado no Brasil: o consultor de investimentos.

De acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), até dezembro de 2023, o Brasil contava com 1.667 consultores. Pensado no aumento da demanda, a XP planeja formar até 2 mil novos profissionais até 2025.

“Estamos muito otimistas com o momento de mercado e com a profissão em si”, confirma Diego Gonsalez, head comercial B2B da XP. “Conforme nossas estimativas, queremos formar na casa dos 2 mil novos consultores até o final de 2025”, completa.

Continua depois da publicidade

Responsável por elaborar aconselhamento personalizado e aplicar estratégias de investimento adaptadas ao momento de vida e objetivos de cada cliente, o consultor de investimento opera de maneira independente em instituições financeiras ou escritórios próprios. O profissional tem capacidade de oferecer serviços para aqueles com patrimônio distribuído em mais de uma instituição.

A atuação do consultor é regulada pela CVM e sua remuneração é negociada diretamente com o cliente, que pode optar pelo pagamento de um valor fixo anual pela prestação do serviço ou pelo pagamento de uma porcentagem do seu patrimônio.

Leia mais:

Continua depois da publicidade

Para Thiago Venancio, head de consultoria da XP, a formação dos consultores está em linha com a estratégia da casa, que atuou para a expansão de outros profissionais do mercado financeiro.

“A XP está preparada para ser a casa do empreendedor brasileiro”, diz. “Se ele quer empreender como gestor de patrimônio, como assessor ou como consultor, estamos preparados para atender este profissional em qualquer uma das três frentes desta indústria”, detalha Venancio.

Leia também

Continua depois da publicidade

Para os interessados em ingressar na carreira, é necessário conhecimento em finanças, formação acadêmica em nível superior em qualquer área do conhecimento e ter uma certificação reconhecida pela CVM.

A certificação Anbima de especialista em investimento (CEA), e o Certified Financial Planner (CFP), credencial internacional atribuída aos profissionais de planejamento financeiro aprovados em exame, são exemplos de credenciais aceitas para exercer a profissão.

Entre as características mais procuradas se destacam habilidades interpessoais, capacidade analítica e interesse em se aprofundar no mercado de capitais.

Infomoney

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo